Arquivos de Tag: pesquisa

PESQUISA IBOPE: DILMA e SERRA EMPATADOS EM 37% / “DEMOS e TUCANADA agonizam nas reuniões de emergência e sujeira.”

“entre o final da semana passada e a última sexta-feira os DEMOS já davam sinais de fadiga com a campanha de zé serra. alguns deputados federais do DEMO já acenam em marchar com o PT nos seus estados. o organismo da campanha se mostra fraco, facilmente contaminável ao ponto de o termo “vice” ( de serra) chega a ser uma ofensa para quem é lembrado. vide aécio.” PTP.

Pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S.Paulo”. De acordo com levantamento, 8% dos entrevistados se dizem indecisos

Pesquisa Ibope de intenção de voto para presidente da República divulgada neste sábado (5) aponta Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) empatados. Os dois têm 37% das preferências e Marina Silva (PV), 9%.

O Ibope ouviu 2.002 eleitores em 141 cidades do país entre os últimos dias 31 de maio e 3 de junho. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Isso quer dizer que Dilma e Serra podem ter entre 35% e 39% das preferências e Marina, entre 7% e 11%. Nove por cento dos entrevistados disseram que votarão em branco, nulo ou em nenhum candidato. Os indecisos somam 8%.

No último levantamento feito pelo Ibope, em abril, José Serra tinha 40% das intenções de voto, Dilma Rousseff, 32%, e Marina Silva, 9%. Dilma foi a única candidata que apresentou crescimento.

Em fevereiro deste ano, a diferença entre os dois primeiros colocados na disputa era de 13 pontos percentuais (Serra tinha 41% e Dilma, 28%). Em março, caiu para cinco pontos (38% e 33%, respectivamente). E, em abril, voltou a subir e chegou a oito pontos (40% e 32%). Nesse mesmo período, Marina teve 10%, 8% e 9% das intenções de voto nos estudos feitos pelo Ibope.

A série histórica citada não considera na disputa o deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE), que oficializou, no fim de abril, a desistência de concorrer à Presidência.

A pesquisa é a primeira encomendada neste ano ao instituto pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”. Esse levantamento aferiu somente as intenções de voto nos três principais presidenciáveis. Nos cartões apresentados aos eleitores, não constavam os nomes de eventuais pré-candidatos cujas taxas são inferiores a 1% em outras pesquisas já divulgadas neste ano.

O prazo legal para que os partidos oficializem os candidatos em convenção começa no próximo dia 10 e termina no dia 30. Após essa data, serão conhecidos os nomes de todos os candidatos que disputarão a Presidência na eleição de outubro.

Segundo turno

O Ibope também considerou a possibilidade de segundo turno entre Serra e Dilma. O resultado é um novo empate, em 42%. Nessa situação, brancos e nulos somam 9%. Sete por cento não responderam.

Segundo os pesquisadores, a candidata do PT recebe mais votos dos eleitores de Marina Silva(40%, contra 32% que optariam pelo candidato tucano).

Entre os entrevistados que declararam que votariam branco ou nulo no primeiro turno, o percentual de quem escolheria Serra na segunda etapa é maior (17%, contra 6% para Dilma).

Rejeição

O Ibope também aferiu o grau de rejeição dos eleitores aos três principais pré-candidatos. Vinte e quatro por cento dos entrevistados disseram que não votarão em Serra; 19% em Dilma e 15% em Marina.

Os entrevistados responderam ainda questionários sobre o interesse na eleição que vai ocorrer em outubro. De acordo com o Ibope, 21% disseram que têm muito interesse, 32% têm interesse médio, 27% têm pouco interesse e 19% não têm interesse nenhum.

Avaliação do governo

De acordo com o levantamento, o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva é considerado ótimo ou bom por 75% dos entrevistados, regular por 20% e ruim ou péssimo por 5%. A nota média atribuída ao governo pelos eleitores ouvidos pelo Ibope é 7,8.

A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob protocolo número 13642/2010.

05/06/2010 | 15:40 | G1/GLOBO.COM

segunda manchete, entre aspas, e ilustrações são do site PTP.

O CASO DA CÉLULA SINTÉTICA por hamilton alves / ilha de santa catarina

Ouvi o disparo dos fogos de artifício atirados por ateus conhecidos quando souberam da notícia de que o biólogo americano Craig Venter teria criado a célula sintética, com  o que pretendiam consolidar sua tese da inexistência de Deus. A célula é uma forma de produzir vida – e na opinião de Venter isso prova que a vida não provém de uma potência especial.

Ao mesmo tempo que anunciava o novo engenho no campo da biogenética ou da engenharia genética, reconhecia que tal célula teria que se submeter a certos controles de segurança, sob pena de desencadear doenças e os cientistas (isso ele não disse) perderem o controle de seu mecanismo, como uma nova espécie de dr. Mabuse ou outro monstro semelhante do saber humano, que acha que tem poder para tudo na manipulação do conhecimento.

Mas o dr. David Baltimore, prêmio Nobel de medicina, repôs as coisas em seus devidos lugares, quando declarou que “Venter está superestimando o seu feito. A descoberta tem valor de uma nova técnica científica, mas não tem poder de mudar nada no campo conceitual”.

Ora, diante disso, nota-se que os ateus estão se antecipando no desfrute de seu triunfo de que a vida agora não depende mais de uma força ou de um poder sobrenatural ou de outra qualquer origem, mas o próprio homem poderá, doravante, criá-la com o advento da tal célula sintética.

Diz o comentário de um jornal que “há fronteiras objetivas para aquilo que o homem pode por e dispor num genoma. E isso num ser simplório como Mycoplasma, que nem núcleo celular tem (a bactéria é classificada como organismo procarioto)”. E mais: ”O genoma humano é milhares de vezes maior que a bactéria inventada por Venter”. E ainda: “Está longe o tempo  – se é que algum dia virá – em que a biologia será capaz de sintetizar células para remendar órgãos humanos”.

Em suma, os ateus ouviram cantar o galo mas não sabem onde, como de rotina.

Ainda que a técnica científica avance, como tem avançado admiravelmente, nos últimos tempos, na questão que diz respeito estritamente à produção de vida, ainda creio que seja impossível consegui-la em laboratórios ou seja lá de que  modo for.

A natureza ainda é senhora toda poderosa nesse campo.

Quando o homem tentar mexer nos poderes da natureza, suponho, a reação não tardará.

Não foi sem certo receio que a notícia da descoberta da célula sintética foi anunciada. Um outro  mecanismo seria necessário criar para controlar os seus eventuais efeitos devastadores sobre a vida.

Ainda é muito cedo para os ateus cantarem vitória. Se é que o conseguirão algum dia.