Arquivos de Categoria: humor

QUINO, o cartunista argentino, SENSACIONAL!

Tristemente Brilhante…
Quino, o cartunista argentino autor de Mafalda, desiludido com o rumo que está tomando o mundo, quanto a valores e educação, expressou seu sentimento a respeito… Brilhante!!!
http://2.bp.blogspot.com/_kaBcdL1qOrQ/TJPmVllaGPI/AAAAAAAASSo/K65fLHvCqGc/s640/quino1.jpg
http://1.bp.blogspot.com/_kaBcdL1qOrQ/TJPmYsGFx4I/AAAAAAAASSw/qp_i4HbigSA/s640/quino2.jpg
http://2.bp.blogspot.com/_kaBcdL1qOrQ/TJPmavQuEEI/AAAAAAAASS4/ECPMblApRoE/s640/quino3.jpg
http://2..bp.blogspot.com/_kaBcdL1qOrQ/TJPmdLwo7KI/AAAAAAAASTA/Pn-3_bUgZWc/s640/quino4.jpg
http://4..bp.blogspot.com/_kaBcdL1qOrQ/TJPmiQRZw6I/AAAAAAAASTQ/P_8KHnCqSDs/s640/quino6.jpg
http://3..bp.blogspot.com/_kaBcdL1qOrQ/TJPmf9vmG2I/AAAAAAAASTI/T_cwpKHPXnM/s640/quino5.jpg
http://4..bp.blogspot.com/_kaBcdL1qOrQ/TJPmkUVFKrI/AAAAAAAASTY/1RF6VTQloXI/s640/quino7.jpg
http://2..bp.blogspot.com/_kaBcdL1qOrQ/TJPmmVz7owI/AAAAAAAASTg/ehUGZjTYBGA/s640/quino8.jpg
A genialidade deste artista produziu uma das melhores críticas sobre a educação dos filhos nos tempos atuais….
Anúncios

SALVE A SELEÇÃO! SALVEM-NOS!

 

…o SUFICIENTE!

General afirma que Jobim é prepotente e ‘já foi tarde’

A queda de Nelson Jobim do Ministério da Defesa, no último dia 4, trouxe à tona o ressentimento de oficiais das Forças Armadas com supostas humilhações impostas a militares pelo ex-chefe.

Um artigo do general reformado Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, ex-presidente do Clube Militar, expõe mágoas da caserna e afirma que o ex-ministro tinha “psicótica necessidade de se fantasiar de militar” e “já vai tarde”.

O texto foi publicado no site da Academia Brasileira de Defesa e circula desde o fim de semana em blogs de militares. Escrito como desabafo dirigido a Jobim, sugere que parte da classe se sentiu vingada com sua demissão.

Caio Guatelli-13.jan.2010/Folha Imagem
O ex-ministro da Defesa Nelson Jobim durante visita a instalação brasileira no Haiti; ele deixou o cargo no início do mês
O ex-ministro da Defesa Nelson Jobim durante visita a instalação brasileira no Haiti; ele deixou o cargo no início do mês

“Como um dia é da caça e outro do caçador, o senhor foi expelido do cargo de forma vergonhosa, ácida, quase sem consideração a sua pessoa, repetindo os atos que tantas vezes praticou com exemplares militares que tiveram […] a desventura de servir no seu ministério”, diz.

“Por tudo de mal que fez à nação, enganando-a sobre o real estado das Forças Armadas, já vai tarde. Vamos ficar livres das suas baboseiras, das suas palavras ao vento, das suas falácias.”

O general afirma que o perfil do ex-ministro publicado pela revista “Piauí” “retrata com fidelidade” o “seu ego avassalador, que julgava estar acima de tudo e de todos, a prepotência, a arrogância e a afetada intimidade com os seus colaboradores”.

Na reportagem, que precipitou a demissão do ex-ministro, Jobim chama a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) de “fraquinha” e diz que Gleisi Hoffmann (Casa Civil) “nem sequer conhece Brasília”.

Em outro trecho, que irritou os militares, a repórter narra uma cena em que ele usa tom ríspido para dar ordens ao almirante José Alberto Accioly Fragelli, diante de outros oficiais e de civis.

O artigo critica o ex-ministro por posar de farda, “envergando uniformes que não lhe cabiam não apenas por seu tamanho desproporcional, mas, também, pela carência de virtudes básicas”.

 

BERNARDO MELLO FRANCO
DE SÃO PAULO

TIA DILMA levanta o tapete e……VARRRREEEEEEEEE!! / curitiba

arte de PAIXÃO.

A PRESIDENTE DILMA FOI MUITO CONDESCENDENTE COM “JHONBIM”, O INÚTIL.

JHONBIM o “soldadinho de chumbo”,  dos americanos, CAIU. As Forças Armadas brasileiras AGRADECEM a PRESIDENTA DILMA pela a atitude de afastar o INÚTIL FARSANTE que se locupletava com “muito prazer” do cargo que ocupava. Foi, realmente, uma perda de tempo a sua permanência.

 

arte de NETTO.

QUINO, o cartunista argentino e a educação: / argentina

Quino, o cartunista argentino autor da Mafalda, desiludido com o rumo deste século no que diz respeito a valores e educação, deixou impresso no cartoon o seu sentimento:
A genialidade do artista faz uma das melhores críticas sobre a criação de filhos (e educação) nos tempos atuais.

BESSINHA descobre o novo WALTER MERCADO:

CAIADO ataca BORNHAUSEN, irmãos gêmeos / brasilia

DEU NO TWITER:
Ronaldo Caiado
@deputadocaiado Ronaldo Caiado
Jorge Bornhausen e Saulo Queiroz mudaram o nome e os rumos do PFL, fracassaram, tentaram covardemente jogar a culpa em outros e saíram.
21 hours ago via Echofon
.
Ronaldo Caiado

@deputadocaiadoRonaldo Caiado
Agora, Jorge Bornhausen, que sempre foi de se acomodar à sombra do poder, trabalha para entrar no governo do PT.
21 hours ago via Echofon
.
O deputado dá de barato que Bornhausen seguirá o mesmo rumo de Saulo. Escreve que ambos já “saíram”:

“Jorge Bornhausen e Saulo Queiroz mudaram o nome e os rumos do PFL, fracassaram, tentaram covardemente jogar a culpa em outros e saíram”.

Realça no ex-correligionário a vocação governista: “Jorge Bornhausen, que sempre foi de se acomodar à sombra do poder, trabalha para entrar no governo do PT”.

Recorda uma passagem da eleição de 2010: o comício em que Lula atacou, na Santa Catarina de Bornhausem, o DEM:

Jorge Bornhausen ajuda Lula, que disse, em SC, tentar exterminar o DEM! A que ponto chegamos. Também faz a ponte entre governo-PSD”.

Trata Bornhausen como um silvério: “A atuação da quinta coluna no DEM foi lamentável e já entrou para a história”.

Devagarzinho, a conflagração que corrói as entranhas do DEM vai transbordando. Caiado lavou a roupa suja dos gabinetes fechados para a mais moderna das praças públicas: a internet.

JS.

BESSINHA leu o artigo do F H C

BESSINHA e as eleições em 2010

“ÓIA” – NOVAS DENÚNCIAS CONTRA DILMA SACODEM O PAÍS

A ÓIA desta semana está imperdível, prometendo uma verdadeira BOMBA VIRA-ELEIÇÃO. VEJA as estarrecedoras manchetes!


JORNAL NACIONAL e o APOCALIPSE !

PARA O JORNAL NACIONAL, O BRASIL É UM HORROR!

Se você acordar de manhã com a Miriam Leitão e dormir com o William Waack, no dia seguinte pede asilo à Embaixada do Haiti.
No
Amapá – onde começou a série patrocinada pelo Bradesco -, em Pernambuco e no Paraná,
onde o jornal nacional pousar haverá sempre uma desgraça haitiana.
Com um jatinho da
Embraer e o patrocínio do Bradesco.

Interessante que o Bradesco, neste segundo trimestre de 2010, tenha lucrado a bagatela de R$ 2,5 bilhões.
Neste segundo trimestre de
2010, quando Lula tem 80% de popularidade, o Bradesco se aproveitou, segundo Luis Carlos Trabuco Capri, (jornal ValorGlobo -, pág D6, de 29 de julho de 2010) , presidente do Bradesco, do “cenário de mobilidade social”:
“Nos últimos três anos,
dois milhões de clientes (do Bradesco) migraram das classes D e E para a classe C”, diz Trabuco.

“Dos atuais 20,6 milhões de correntistas pessoas físicas (do Bradesco) cerca da metade pertence À CLASSE  C”.

QUE HORROR!, dirá o Casal 45. (William Bonner e Fátima Bernardes).

E, por isso, não é difícil entender que o Lula tenha 80% de aprovação ou que a Dilma possa ganhar no primeiro turno. O que não se entende é o Jornal Nacional manipular o patrocínio do Bradesco para essas aventuras aero-rocambolescas pelo Brasil afora com o objetivo de mostrar que o Brasil não passa de um Haiti.

– “Fico imaginando quando este avião sobrevoar o Piauí, meu Deus!”, profetiza Zeferino Pinuca, morador de Campo Maior, cidade situada a 80 km da capital, Teresina, e uma das maiores do Estado. “Não ficará um pé de carnaúba em pé pra contar nossa históra!”, arremata o irrequieto Pinguim, figura folclórica e apavorado eleitor do Lula.

.

by jenipaponews.

Rumorejando (Com o inverno curitibano penando). – por juca (josé zokner) – curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Como o prezado leitor já deve ter de há muito depreendido, a coluna, jamais em tempo algum poderia ter uma seção do tipo “Você pergunta e nós respondemos”. Afinal, basta ver a grande quantidade de dúvidas cruciais que Rumorejando também possui.

Constatação II

Tá na hora de eliminar bem mais reversões à esquerda em Curitiba, conforme Rumorejando vem delonga data preconizando e apregoando.

Constatação III

Tá na hora de começar a educar a população deste país. O prezado leitor já se deu conta o número de crimes que ocorrem no Brasil todo o fim de semana, tomando como exemplo apenas esse grave aspecto como parâmetro de baixo nível ?

Constatação IV

Tá na hora de parar de dizer que nós somos um país do 1º. Mundo porque essa afirmação é uma deslavada mentira.

Constatação V (Segundo o jornal Gazeta do Povo do dia 27 de julho de 2010 “Patrimônio de deputados cresce em média 150% em quatro anos. Dos 72 parlamentares federais e estaduais paranaenses que disputarão as eleições ao Legislativo, 55 enriqueceram desde 2006. Em um caso, aumento foi de 3.250%).

Tá na hora dos governantes brasileiros deixarem de lado a empáfia, a vaidade, a veleidade, etc. etc. e começar a tratar de governar para o povo e não apenas para si próprios).

Constatação VI

Não se deve confundir citação com situação, muito embora, dependendo da citação que o sujeito receba, ele fica numa péssimasituação.

Constatação VII

E não se deve confundir, também, jaz com jus, muito embora, às vezes, você acha que ali onde está escrito “Aqui jaz Fulano de Tal”, você, face a tudo aquilo que o mortal – que, aliás, se julgava imortal – realizou, ele, tardiamente, fez jus ao infausto desfecho, ainda que, em princípio, você não deseje a morte de ninguém…

Constatação VIII

E, ainda, não se deve confundir estranhas com entranhas, muito embora, alguma vez ou outra, a pessoa apaixonada e não correspondida e/ou compreendida sinta dores profundas nas entranhas da alma e, logo em seguida, comece a sentir sensaçõesestranhas no pobre do coração.

Constatação IX

Sem ser inteligente,

A gente logo depreende

Que pela gravidade do acidente

O “az” do volante nunca aprende.

Constatação X

Vamos parar, de uma vez por todas, de falar mal do atual governo. Afinal, ele nada mais é do que a continuação dos anteriores.

Constatação XI (Brasil ainda é um dos mais desiguais, apesar de progresso, diz ONU).

Em 2009, o Produto Interno Bruto cresceu em relação ao ano anterior, segundo o IBGE. Se a situação de mortes por violência, por fome, doenças, falta de atendimento médico, migração para outros países, etc. etc. continuar no atual ritmo, a população diminuirá e, consequentemente, o nosso PIB per capita aumentará. Quanto menos gente, maior o PIB per capita. Inversamente proporcional, portanto. E morra “nóis”, digo, viva “nóis”.

Constatação XII (De uma dúvida)

Essa briga entre o senador José Sarney x outros senadores que pediram sua saída da presidência do Senado e outras mais entre Judiciário x Legislativo x Executivo dá a combinação de três elementos, tomados dois a dois. Matemáticas a parte, na sua modesta opinião, caro leitor, ainda bem que, de vez em quando, eles brigam entre eles e, por raros momentos eles não se encontram, como de praxe, unidos contra nós ?

Constatação XIII

O septuagenário fica lucubrando, diante das tristes realidades do que lhe sucede pelo fato de estar na assim chamada 3ª Idade:

-Vontade de tomar chuveiro sentado;

-Virar a direção devagarzinho, levando-a de uma mão para outra sem cruzar os braços;

-Se ver as voltas com uma indefectível barriguinha ou barrigona;

-Paquerar tudo que mulher, inclusive cometendo a gafe de paquerar a do amigo ou conhecido, a quem já foi apresentado muitas vezes e cada vez ter dito: “Muito prazer em conhecê-la”.

-Passar para 2ª marcha do carro ao invés da 4ª e vice-versa. Ou a 1ª ao invés da 3ª; ligar o limpador de pára-brisa ao invés da seta indicadora de direção; querer abrir a porta do carro com a chave da casa ou vice-versa e coisas assim.

-Bebendo ou não, ter dificuldade de fazer um “quatro” sem se apoiar. Ter que sentar para vestir as calças ou também ter que se apoiar, mesmo que o pé não seja grande e a boca da calça não seja estreita.

-Dar marcha à ré, sem voltar a cabeça, bem devagarinho, até o pára-choque bater no outro pára-choque, parede, etc.

-Usar freqüentemente as frases: “Naquele tempo”, “No meu tempo”, “Ah, se eu agora tivesse menos 40 anos…” “O que é que eu estava dizendo mesmo ?” “Os jovens de hoje não são como nós éramos” “Essa gente quer ganhar tudo de bandeja, sem fazer força”, etc.

-Não ser mais aceito, se está procurando emprego, sob qualquer alegação menos a verdadeira da idade provecta. Idem, idem para fazer seguro de vida e convênio com algum plano de doença, digo, de saúde.

-Começar a se interessar por ceroulas, depois de havê-las repudiado durante toda a vida, sob a alegação que ficaria ridículo, que nenhuma mulher deveria ou quer fazer amor com quem usa ceroulas e coisas desse jaez.

-Não pode comer mais isso, não pode mais comer aquilo que faz mal; não pode mais fazer isso, não pode mais fazer aquilo, principalmente, aquilo.

-Mesmo que dê pulinhos e sacuda infinitamente certa parte do seu corpo, os últimos 382 pingos, depois que a tal parte for devidamente recolhida, vão para certa parte de seu vestuário, ao contrário de quando era jovem que, como é sobejamente sabido, apenas, o indefectível último pingo é que deveria ir para o tal mencionado vestuário (Perdão, leitores).

-Dar uma baixada numa gata e receber como resposta “o senhor…”, “tio”, “o vovô”, etc.

-Ficar na fila, no banco, dos idosos e gestantes; ter direito a entrar, gratuitamente, nos cinemas da Prefeitura Municipal de Curitiba; nos bailes, no Operário, também em Curitiba.

-Dar uma passada de olhos na sessão do necrológio do jornal para ver se a média da idade dos óbitos é próximo da sua, ou, ainda, se tem algum conhecido “do seu tempo”.

-Ter uns arroubos de jojoca incontroláveis, estando em casa ou em lugares públicos.

-Procurar adoidado os óculos, com o mesmo na testa;

-Usar boné para proteger a cuca do frio e, dessa maneira, quando está dirigindo, fatalmente, irá assustar os demais motoristas que temem condutor de veículos, “chapeludo”, independente do tipo de chapéu que estiver usando;

-Se ver diante da terrível dúvida crucial: “Puxa vida, aonde mesmo que eu estacionei o meu carro ?” (A expressão “puxa vida”, desde que seja um sujeito educado…).

-Sair da festa, esquecendo a mulher, os filhos e netos e depois voltar somente por achar que havia esquecido o guarda-chuva. Pegar o dito cujo e ir embora, deixando, novamente abandonados a sua própria sorte, ao Deus dará, os seus tão caros familiares;

-Trocar o nome das pessoas e/ou confundi-las com outras que não têm nada a ver;

-Ao invés de dizer “gata”, diz “brotinho”; ao invés de dizer “coroa” diz “balzaqueana”; “vosmecê” no lugar de você; ao invés de escrever “farmácia”, escreve “pharmacia”, etc.

-Chegar ao supermercado e se perguntar: “O que foi mesmo que a mulher queria que eu comprasse ?”

-Se está participando de um jogo de volei, os companheiros não lhe servem a bola, pois sabem que não adianta porque os reflexos foram para as cucuias. Já, os adversários, vá bola em cima do pobre mortal…

-Pelada, para participar, só se for no gol.

-Não conseguir fazer xixi em horários que não os do meio da noite e quando faz o retro-mencionado, o faz em todas as direções, inclusive no lugar correto da bacia sanitária (Perdão, leitores).

-Esquecer o nome da mulher do chefe (menos mal que não o da sua própria…);

-Esquecer do que vive esquecendo;

-Dar uma cuspida pela janela do carro, sem ter verificado antes se havia baixado o vidro (Perdão, leitores);

-Descobrir a diferença entre medo e pavor*…

-Ser convidado para as festas, ginástica, bailinho, excursões, caminhadas, etc. da eufemística Idade de Ouro, Idade da Sabedoria, Idade da Maturidade, etc.;

-Esquecer quem fez a primeira, no jogo de truco (fato muito grave e imperdoável, diga-se de passagem);

-Viver tropeçando, inclusive até na própria sombra.

-Andar com a braguilha aberta e abotoar o paletó completamente errado.

-Ficar sentado em frente à televisão, assistindo o noticiário e, fatalmente, puxar um ronco, acordando, dentro em pouco, assustado.

-Pedir para alguém encontrar um número de telefone na lista telefônica por não conseguir ler “essas malditas letras pequenas”.

-Entrar na fase das muitas letras, como por exemplo, as da letra “pê”: paquera paca e pifa; pega problema na próstata, além depipalgia (dor na nádega) e pigarro; ou as da letra “a”, pois aparece artrite, artrose, arritmia, arteriosclerose, anda arcado, etc. e da letra erre, dentre outros sintomas, rouquidão, reumatismo, resfriado, rinite; da letra cê, dentre tantos coriza, catarata, o ciático (ah, o ciático)e assim por diante até o total do alfabeto inclusive com as letras “k”, “w” e “y”.

-Abrir os tarros por qualquer motivo, inclusive por coisas e fatos piegas.

-Ter que tomar algum tipo de medicamento antes, durante ou depois das refeições.

-Sentir cãibras e pontadas nas piores ou melhores situações e nos lugares mais esdrúxulos, inclusive até nos cabelos.

*A diferença entre medo e pavor, para quem ainda não sabe, é a seguinte: Medo,é tudo aquilo que o sujeito sente, pela primeira vez, quando não consegue dar a segunda; pavor, é tudo aquilo que o sujeito sente, pela segunda vez, quando não consegue dar a primeira…

Moral de tudo isso, relacionado acima, embora não seja bem uma fábula, pelo menos daquelas indignas do guru Millôr:Não é só a inveja que é uma eme…

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I

A seleção do Mano Menezes parece ser a antípoda da seleção do Dunga?

Dúvida II

Ele estava em dúvida – crucial ou não – se pagava a dívida, achando que não era devida nem uma questão de vida ou morte ?

Dúvida III

A Raimunda,

Aquela

Que ouço falar

Que ela

Também é

Boa de bun, digo, pé,

Profunda

Magoa

Sentiu

Quando,

Em lugar

De cerveja,

Ora, veja!

O garçom,

Com pecha de bom,

De legal

Serviu

Água

Torneiral ?

Dúvida IV

A cartomante,

Nem por um instante

Não viu

Nem previu

Que o seu marido,

Que andava tão arredio

E com ares de compungido

Ia sumir, como de fato,

Sem nenhum espalhafato,

Sumiu,

Com uma amante ?

Dúvida V

O prezado leitor é do tempo, como deste assim chamado escriba, em que a última linha da dúvida anterior era escrita assim: “Com u’a amante” ? Minh’alma ? E de pharmacia ? E de 10 bananas por um tostão ? E…E…E… ?

Dúvida VI

Meu bem! Meu doce bombom! O bem-bom não estava bom ?

Dúvida VII

Agora que os cientistas conseguiram reduzir a velocidade da luz, conforme a mídia andou divulgando, será que, de acordo com a teoria da relatividade de Einstein, vai dar para voltar ao passado ? (Cartas à redação. Obrigado).

Dúvida VIII

Não restou ninguém para contar ? Todos, do pelotão de fuzilamento, se suicidaram ? Tem certeza ?

Dúvida IX

Cadê a devolução do excedente nas contas de luz cobradas que até hoje não nos devolveram ?

Dúvida X

A “Dúvida IX” é de quem ainda acredita ou não acredita em Papai Noel ?

MARIO QUINTANA por joão de deus NETTO / curitiba

MARADONA PELADO?…OBRIGADO ALEMANHA !!!

UM clique no centro do vídeo:

Rumorejando (Se a reunião do G20, do G8 ou de qualquer G não fosse inócuo o ponto G nas mulheres já teria sido achado?, perguntando} – por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Hitler deve estar penando ainda mais no inferno ao constatar que o jogador brasileiro afro-descendente Claudemir Jerônimo Barreto, de apelido Cacau, também é jogador da Alemanha. Além de um dos irmãos Boateng.

Constatação II

Não se pode confundir uva com luva, até porque a raposa do mestre Esopo não falou que era a luva que estava verde.

Constatação III

Uma bebida espirituosa

Ele emborcou.

Daí redundou

Que até a sogra era bondosa.

Constatação IV

Rico vive a larga; pobre, largado.

Constatação V (Saudades também da estatal Telepar).

Se você tirar a prova dos nove das privatizações (pedágio, comunicação, energia elétrica, etc.), ocorridas em nosso país, você não prova nada e, com essas taxas que se está pagando, tampouco sobra nada.

Constatação VI (De conselhos úteis).

Se você pretende simular, ao chegar tarde a sua casa, que você estava trabalhando, fazendo um serão brabo, ensaie primeiro, esgotando todas as hipóteses de perguntas que porventura advirão, a fim de não cair em contradições. E claro, certifique-se de que você não vai deixar sinais, marcas, impressões digitais, labiais, imorais, etc. ou quaisquer outras pistas de denúncia ou delação. De nada!

Constatação VII

Rico pula carnaval; pobre, assiste o de Curitiba.

Constatação VIII

Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o jogador Luis Fabiano e o juiz francês que apitou o jogo do Brasil contra a Costa do Marfim são amigos de há muito tempo…

Constatação IX

Depois que a partida terminou o vidente comentou: “Eu não falei pra vocês que íamos ganhar?” E como ninguém chegou a pelo menos menear afirmativamente a cabeça, ele pensou: “Não tem importância a falta de resposta. Falei pra mim mesmo”…

Constatação X (De conselhos úteis. De nada!)

Evite o colesterol,

Tomando vinho,

Mas com moderação;

Evite a hipertensão

Não assistindo o futebol,

Nem por um momento,

Quando teu time ta sozinho

Lá na zona do rebaixamento.

Constatação XI

Paulo Salim Maluf afirmou que a ficha dele é a mais limpa do Brasil. Nessa linha de raciocínio, Rumorejando acha – data vênia, é claro – que a Madre Tereza de Calcutá não merecia ter sido canonizada. Ela tirou o lugar de pessoas mais credenciadas e prioritárias…

Constatação XII

Quando o obcecado convencido se inteirou que no Peru as fãs de um candidato a prefeito estavam, nos comícios, atirando suas calcinhas pra ele, inferiu que se ele, o obcecado, morasse no Peru elas não só atirariam as calcinhas, mas também se atirariam suplicantes nos seus braços.

Constatação XIII

Quando, no motel, a francesa

Pôs-se a cantar a Marselhesa

Ele fez continência e ficou em pé.

Despido, parecia um chipanzé

E, ouvindo o hino pelado,

Sentiu-se despatriado.

Coitado!

Constatação XIV

Não seja jacu, jeca ou tatu.

Lembre-se que praga de urubu

Pode deixar a gente jururu

E cair no teu próprio… nariz.

Constatação XV

Tendo em vista que certas atitudes e fatos vêm se sucedendo cada vez mais de maneira acentuada, aguardem, prezados leitores, o Dia do Contraventor. E já que falamos no assunto, o Dia do Bibliotecário deverá ser extinto por falta de leitores nas bibliotecas…

Constatação XVI

Deu na mídia: “Lula inaugura terreno baldio no Pará”. Aguardem breve, prezados leitores, nessa época de eleições, até inauguração de eventual recapeamento dos buracos nas estradas rodoviárias…

Constatação XVII

Quando o obcecado convencido, nada a ver com o outro da Constatação XII, leu na mídia que “na África do Sul a ‘camisinha anti-estupro’ está sendo distribuída”, estufou o peito e de alto da sua sapiência proferiu a seguinte pérola: “Comigo elas precisariam usar um tapa-ouvido porque ninguém resiste as minhas indefectíveis cantadas”.

Constatação XVIII

O cubo,

Com desconfiança,

Pra pirâmide falou:

“Vê se desencostas

Das minhas costas

Que eu não sou tubo”.

E, adrede,

Por segurança,

Na parede

Se encostou.

Constatação XIX

Rumorejando não acha que Itália, França, Dinamarca e mais outros não se apresentaram mal. Apenas que alguns jogadores estavam com saudades da família e queriam voltar mais cedo para casa. Só isso.

Constatação XX

Rico tem altivez; pobre, não conhece o seu lugar.

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I

Números complexos são aqueles que, em época inflacionaria, não valem nada ? E foram os números primos entre si que brigaram, como em toda família, por causa da herança ? E, também, foram os números romanos que meteram panca de nobres em cima dos números arábicos ? Idem, idem as letras góticas que esnobaram a escrita corrente, aquela utilizada por nós no dia a dia e, para quem estuda ou trabalha, também, na noite a noite ?

Dúvida II

A pelota

Traçando

Espirais

Difusas ?

Ou foi lorota

Dos jornais,

Deixando

Mentes confusas ?

Dúvida III

É muito simplista

Filar a bóia e depois

Fazer a pista ?

Dúvida IV

O simpático anda claudicando ? Me refiro ao prezado leitor, não ao nervo simpático que, diga-se de passagem, quando dói não é nada simpático.

Dúvida V

A garota que nasce em Limeira, estado de São Paulo, é limeirense, limoense, limaense, limenha, limeirana, lima, ou o quê ? Comentários no blog. Obrigado.

Dúvida VI

A cartilha, a tabuada, o caderno de caligrafia, os trabalho manuais, o recreio e a merenda e a professorinha por quem a gente se apaixonou. Apenas rememoração ou estamos entrando na terceira infância ?

Dúvida VII

O sujeito que fatura sozinho uma sena da vida passa a ser, no mesmo instante, inteligente, simpático e bonito ?

Dúvida VIII

Foi o louva-a-deus

Que disse,

Todo teatral,

Pra namorada:

“Não estou numa legal.

Chega de sandice.

Vou tomar a estrada.

Adeus” ?

Dúvida IX

Será que a jabulani é efetivamente esférica? Rumorejando desconfia que pela sua – dela – trajetória, quando quica, ela é oval, ou ova como a gente dizia quando jogava com bola de tentos. Fantasma ela não é, como andou sendo apregoado, embora muito jogador a deixe passar como se ela fosse invisível…

Dúvida X

Foi o obcecado que chamou, num ato aparentemente falho, a vuvuzela de vulvazela?

Dúvida XI

O nepotismo,

Sob alegação

Que não tem

Alguém

Nem

Ninguém

Tão

Bom,

Tão

Competente

Como o parente,

É cinismo,

Brasileirismo,

Mercantilismo

Ou filha da p….ismo ?

Dúvida XII

Foi o trabalho da formiga,

Dando exemplo pra cigarra,

Que quase a matou de fadiga ?

Dúvida XIII (Via pseudo-haicai).

A monja

Bebia cerveja

Qual esponja ?

Dúvida XIV (Via pseudo-haicai).

Tem que ser xereta

Para descobrir

Tanta mutreta ?

Dúvida XV

Será que os blecautes que volta e meia acontecem em nosso país são alguma traquinagem de algum disco voador, como se supôs, há alguns anos atrás, quando Nova Iorque também ficou às escuras ?

Dúvida XVI

Não é flor

Olorosa

O bebedor

De perigosa* ?

*Perigosa = um dos muitos sinônimos de cachaça.

COISAS QUE PRECISAM SER INVENTADAS

-“Abolidor” automático a fim de abolir o capital especulativo da face do Planeta Terra, de outros planetas e, inclusive, de outras galáxias.

-“Abolidor” automático, nada a ver com o anterior, a fim de abolir legislador que legisle em causa própria da face do Planeta Terra, de outros planetas, etc.

-Sapato, ou bota, ou tênis, etc., novo, que já venha amaciado como o velho que, diga-se de passagem, nunca deixa de ser o do coração.

-Liquidificador para liquefazer nossas desditas.

-Sonar de longo alcance, ou melhor de longa distância para detectar visita inoportuna do tipo credores, sogra, mordedor, cara chato, etc. para você ter tempo hábil de se fechar e apagar automaticamente todas as luzes, dando a impressão que não tem ninguém em casa.

-Político sério.

-Político decente.

-“Desaproveitador” que anule as intenções de quem quer tirar proveito em tudo.

-Jogador de truco que me ganhe.

-Frutas com gosto de carne para que todos virem vegetarianos.

-Cervejas e vinhos com álcool, mas que não contrariem a Lei Seca, não dê porre, etc.

-Rádio em Curitiba que toque música clássica (A Educativa e a emissora da PUC tocam muito pouco e em horários ruins).

-Aparelho para a extinção da famigerada Lei do Mais Forte.

-Mudança ortográfica que também elimine a grosseria.

-Sistema econômico que façam todos terem tudo ou pelo menos que atendam as necessidades básicas.

-Cura para as doenças até agora consideradas incuráveis.

-Bactérias boazinhas que se alimentem de bactérias nem tanto.

-Absorvedor de poluentes (e do petróleo do Golfo do México).

-Aparelho que reduza os decibéis fora dos padrões (propaganda política, venda de sonhos e outros produtos comerciáveis, anúncios de liquidações, etc.).

-Detectômetro para detectar maus-caracteres.

-Comentaristas esportivos que falem menos, a fim de que se assista os jogos pela televisão sem precisar recorrer ao mute.

DILMA e SERRA por simon taylor

Rumorejando (A frase do publicitário Carlito Maia,” Brasil, fraude explica”, rememorando) – por juca (josé zokner) / curitiba


PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (De diálogos complementares, aparentemente com dúvida crucial).

-“Homem tem que ser durão!”
– “Tem que ser. E estar, não ?”…

Constatação II

Não se deve confundir bê-a-bá com bafafá, até porque, mesmo que o governo não proporcione escolas para todos,visando alfabetizar a população, não acontece absolutamente nada, muito menos um impensável bafafá

Constatação III (Repetitiva).

Se a situação continuar assim, a curto prazo, o nosso dinheiro ficará assim-assim, quer dizer, mais curto…

Constatação IV

Disse a carente mulher pro marido marxista: “O teu mentor, o teu grande guru, a quem você não pára nunca de citar, disse: ‘A cada um de acordo com sua necessidade; de cada um de acordo com sua possibilidade’. Então tome logo essas coisas, chamadas viagra, cialis, ou levitra, inventadas pelos teus desafetos capitalistas, pra podermos ir pra cama duma vez”.

Constatação V

A globalização é uma “espécie de ajuda mútua e recíproca” que desajuda os que mais necessitam de ajuda e ajuda os que menos necessitam de ajuda. Tenho dito!

Constatação VI

Depois que a namorada lhe deu o fora, o cara estava se sentindo um lixo com tal intensidade, mas com tão grande intensidade que cuidava, ao colocar o lixo doméstico na calçada, que não coincidisse quando o caminhão da limpeza pública passava com medo que o levassem também.

Constatação VII (Tuteando, como gaúchos e catarinenses).
Querida! O teu aspecto
Meditativo, sentada no trono,
É tão circunspecto
Que até pareces um mono.

Constatação VIII

Tocava tão mal, tão mal, mas tão mal que aquilo já não era martelar o piano, era surrar mesmo.

Constatação IX

Não se deve confundir FMI – Fundo Monetário Internacional com FBI – Federal Bureau Investigation, muito embora certos países, que têm que recorrer ao primeiro para conseguir um empréstimo, mereceriam ser investigados pelo segundo, ou assemelhados, para detectar e aclarar como foi que chegaram a um nível de endividamento e situação tais em que se encontram que os levou a recorrer ao primeiro.

Constatação X

Rico solve seus altos compromissos na promoção do crediário; pobre, gagueja na prestação.

Constatação XI (Teoria da Relatividade para principiantes).

Para quem é um destrambelhado, a pessoa que é ordeira é neurótica.

Constatação XII

Salvo maior engano, a situação está ficando “salve-se quem puder”.

Constatação XIII

“A odontologia é uma profissão que exige, dos que a ela se dedicam, o senso estético de um Artista, a destreza manual de um Cirurgião, os conhecimentos científicos de um Médico e a paciência de um Monge”. Papa Pio XII.
“O aposentado é uma condição que exige, dos que se aposentaram pelo INSS, o senso estético da Amélia que ‘achava bonito não ter o que comer’, a destreza manual para fazer ‘Das Tripas Coração’, conhecimentos científicos para sobreviver como um ‘Perdido no Deserto’ e a paciência de quem crê que ‘Devagar Se Vai Ao Longe’”. Leigo José Zokner (Juca).

Constatação XIV (De conselhos úteis).

E nunca esqueçam, prezados leitores, que sempre, a toda hora, a todo o momento, haverá, em algum lugar, alguém que, pela própria irremediável condição humana, te estará pichando. Diante dessa terrível obviedade, limite-se, apenas, a menear os ombros. De nada !

Constatação XV

Quem superestima sua suposta inteligência é um burro.

Constatação XVI

E já que falamos no assunto, em certos países, há os que têm inteligência superior, mas, por uma série de condições, ela acaba se finando; há os que não têm inteligência superior, mas têm condições, principalmente financeira, o que dá para ir tranqüilamente levando; outros mais, têm condições financeiras e inteligência superior só que a televisão vai solapando. E por aqui, no fim desta constatação, vamos ficando…

Constatação XVII

Paquerou o mulherão do açougueiro. A carne é fraca…

Constatação XVIII

Quando este assim chamado escriba frequentava os jogos de futebol e o goleiro deixava passar uma bola fácil, a torcida gritava o substantivo ou adjetivo “frangueiro” e a mídia se reportava que “o goleiro comeu ou engoliu um frango”; Mais tarde, os cronistas passaram a dizer “tomou um frango”; Nos primeiros jogos da presente Copa, a mídia assinalou: “Goleiro da Inglaterra franga”. Como vimos de substantivo e adjetivo evoluiu para um verbo, o verbo frangar que se conjugado seria algo assim: Eu frango, tu frangas, ele franga, nós frangamos, vós frangais, eles frangam. Frangamente, digo francamente, essa turma já não tem mais o que inventar. Cáspite!

Constatação XIX

A Sociedade, está segmentada em compartimentos. As elites dirigentes se constituem em feudos, embora já não vivamos num regime feudal. Aqueles que não fazem parte das elites dirigentes são os “feudidos”.

Constatação XX

As raças negra e amarela e, também, os índios não envelhecem. Militar, os que fazem a carreira, tampouco.

Constatação XXI (De diálogos conjugais).

“Eu fico desesperado(a) quando o meu calcanhar começa a engrossar”.
“E eu fico desesperada(o) quando você começa a engrossar”.

Constatação XXII

Primeiro o curitibano marcava encontro para antes ou depois da chuva; agora, é depois que o nível da água da enchente baixa.

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I

Diz-que-diz
E celeuma causou
Na nação
O presidente
De certo país
Quando falou,
Que o seu parente
Da administração
Não participou.
Porém
Será que alguém
Nele acreditou ?

Dúvida II

Alguém tem dúvida, crucial ou não, que o Dia Internacional da Mulher foi proposto por um machista ? E alguém tem dúvida que o dia foi criado para levá-las na conversa, já que as barbaridades que são feitas contra elas em nenhum momento deixaram de acontecer, obrigando, até, a criação de uma delegacia específica para apresentação das suas queixas, como é o caso da Delegacia da Mulher ?

Dúvida III (Via pseudo-haicai).

Quando alguém grita
Você, de raiva,
Fica verde caturrita ?

Dúvida IV

Diamante,
Não é à-toa que rima
Com amante ?
Ou é amante
Que, não de graça,
Rima com diamante ?

Dúvida V

Homem feliz é aquele para o qual ninguém vem contar uma fofoca ?

Dúvida VI

Hoje em dia, os agradecimentos, pedidos de desculpas, de licença ficaram implícitos e não precisam mais ser expressos ?

Dúvida VII

Foi a dália que falou da camélia pra boca-de-leão: “Ela não é flor que se cheire” ?

Dúvida VIII

Deu nos jornais: “Governo tira um imenso montante da área social”. Alguém aí tinha alguma dúvida ou ingenuamente achava que iriam cortar os salários dos deputados e senadores ?

Dúvida IX

Foi a centopéia que foi ao pedicuro a fim de fazer os pés e ainda teve a ousadia de pedir um desconto ?

Dúvida X

Lágrimas de crocodilo
Ela derramou
Quando reparou
Nos jornais
Que a rival,
Que jamais
Tivera igual,
Aumentou
Muito mais
Que um quilo ?

Dúvida XI

A confidência a Deus, via confissão, será que chega ao seu destino ?

Dúvida XII (Via pseudo-haicai).

A tosse comprida
Encurtou seu beijo
À prometida ?

Dúvida XIII

Levou uma finta
E caiu estatelado,
Em cima do apitador,
No gramado,
O jogador
Com muita pinta ?

Dúvida XIV

Quando o grande cantor lírico proferiu a frase: “Não se canta com a garganta. Se canta, com a cabeça”, qual seria, afinal, o tipo de cantar a que ele estava se referindo ?

Dúvida XV

Os prezados leitores já imaginaram se a Coréia do Norte tivesse feito o seu gol no começo da partida e não no fim contra o Brasil?

Dúvida XVI

Corre pela Internet “que não se deve abrir um e-mail onde aparece a candidata Dilma nua porque pode ser verdade”. Nesse raciocínio, nós brasileiros não teríamos, além da rivalidade, um motivo a mais para torcer contra a Argentina, tendo em vista a promessa do Maradona de ficar nu se os hermanos forem os campeões?

Rumorejando (Coisas que precisam ser inventadas, apresentando). – por juca (josé zockner / curitiba

COISAS QUE PRECISAM SER INVENTADAS.

–         Políticos que não se perpetuem no poder.

–         Poder que efetivamente emane do povo, para o povo e pelo povo. (Perdão, leitores, mas sonhar é preciso).

–         “Abolidor” definitivo da violência, cujos índices cada vez crescem mais em velocidade e em forma logarítmicas.

–         Sistema econômico, afastado dos extremismos dos sistemas capitalista e socialista, que beneficiem a todos sem os privilégios de uns em detrimento de outros. (Perdão, leitores, mas, como já dissemos, sonhar é preciso).

–         Certos sonhos que se tornem realidade.

–         Certos pesadelos que não se tornem realidade.

–         Transformador automático e instantâneo de “persona non grata” em grata.

–         Dispositivo, uma espécie de bumerangue, que transforme as balas de chumbo, utilizadas pelos caçadores, em balas de sal e que, ao mirar qualquer animal e atirar, acerte no próprio atirador, ali, onde as costas mudam de nome.

–         Rosas naturalmente azuis.

–         Canteiro de obras do governo, porém com obras.

–         Premonitor para avisos com bastante antecedência de visitas inoportunas tais como: sogra, cobradores, sogra, chatos em geral, sogra, etc.

–         Laboratório farmacêutico que, de uma vez, pare de aumentar os preços desmesuradamente.

–         “Desengarrafamentador” automático para desfazer os engarrafamentos do trânsito.

–         Riso jovial para carrancudos de qualquer idade.

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (De conselhos úteis).

Só consuma viagra com amendoim desde que os efeitos sejam cumulativos e não excludentes. De nada !

Constatação II (Ah, esse nosso vernáculo).

-“O Xá já tomou chá ?”

-“Já. Na ja…nta. Com aquele xa…rope cha…to”. (Perdão, leitores).

Constatação III

Rico faz grandes negócios que descobre; pobre faz grandes esforços para que não soçobre.

Constatação IV

E como dizia nervosamente o neurótico: -“Não sei porque, mas a neurose me deixa neurótico e neurastênico”.

Constatação V

Não se deve confundir coque, que quer dizer “penteado feminino, que consiste em enrodilhar os cabelos no alto da cabeça” comcroque, que é “pancada na cabeça com o nó dos dedos”, muito embora, tanto no primeiro caso como no segundo, esta tão importante e fundamental parte do corpo humano esteja envolvida. E, hoje em dia, vejam só, no caso do coque, também por homens, o que absolutamente não faz com que mereçam levar um croque, pois gosto não se discute e tá acabado.

Constatação VI

Nem em Nova Iorque, Londres ou Paris,

Nem em Londrina, Maringá ou Mangaratiba.

Parece que o que São Pedro sempre quis

Que apenas chovesse, ali, em Curitiba.

Constatação VII

Com crise ou sem crise,

Rico resplandece

E logo esquece;

Com crise ou sem crise,

Pobre quando não esmorece,

Perece…

Pelo menos, assim parece…

Constatação VIII (Ah, esse nosso vernáculo).

-“O careca corou até a raiz dos cabelos”.

Constatação IX (Passível de mal entendido, principalmente com relação ao motivo do cumprimento).

Entre uma “lewinskada” e outra, o presidente Clinton chegou a 35 anos de casado com a Da. Hilary. Parabéns !

Constatação X (De conselhos úteis, via pseudohaicai).

Cuidado com o bocejo

Você poderá engolir

Um percevejo.

Constatação XI

E beijo que muito perdura

Arrisca engolir

A dentadura.

(Perdão, leitores).

Constatação XII (De ditado, adaptado para as atuais condições norte americanas).

Acabou-se

O que era doce

Quem comeu

Ferrou-se*.

*Ou estrepou-se. Você decide, tá ?

Constatação XIII

E como dizia aquele especulador: -“Antes das Bolsas de Valores, a gente era feliz, vivia contente e não sabia”.

Constatação XIV

E como dizia aquele burocrata que controlava a entrada de estrangeiros no país: -“Pelo visto, o seu visto não foi visto”.

Constatação XV

Estava sempre entalado:

Para fugir dos seus credores,

Vivia esquivo, camuflado,

Fugindo e sofrendo horrores.

Constatação XVI (Via pseudohaicai).

Uma conversa entabula

Com o farmacêutico: -“É falso

O seu remédio; ou a bula.

Constatação XVII (Via pseudohaicai).

Com esta notícia em destaque:

“Corte no orçamento da Saúde”.

Sofreremos todos um “peripaque”.

Constatação XVIII

Assim como existe tutear que quer dizer “tratar ‘(alguém) por tu”, “tratar-se mutuamente por tu”, tomo a liberdade de sugerir aos nossos filólogos a expressão “vocear”, já que o “tu” não é utilizado em todas as regiões do nosso país. De nada !

Constatação XIX

A computação, assim como as mulheres, tem aspectos maravilhosos. Agora, que é preciso saber manejá-las, isso lá é preciso…

Constatação XX (De uma dúvida crucial meio confusa).

O prezado leitor não acha que, já que mulher nua, vende, como dizem os entendidos em “marketing”, mulher vestida, consequentemente, não deveria comprar ?

Constatação XXI (Via pseudohaicai).

Só caquético

Torce pro

Atlético*.

*Calma pessoal! É o Atlético de Bilbao. Aliás, isso já foi dito, anteriormente, em outras edições de Rumorejando. Favor prestar mais atenção nas leituras para não cometer eventuais maus juízos e/ou falsas interpretações. Obrigado.

Constatação XXII

Nela, o sexo,

Projetado pra frente;

O bumbum,

Coerente,

Convexo.

Mergulho,

Tchimbum,

Neste anti bagulho.

Quanto desvelo!

Quanto orgulho!

Mas, era um sonho,

Aliás, nada enfadonho.

Que decepção,

Meu irmão!

Acordo alagado,

A realidade,

Que pecado:

Um baita pesadelo!

Rumorejando (Com os estudantes de Brasilia se solidarizando). – por juca (josé zockner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (Via pseudo-haicai).

Não sei, se dizer eu devo,

Mas, neste país, com mais de setenta

Eu me considero longevo…

Constatação II

E como a turma se referia ao preguiçoso, numa dúvida crucial: -“O que será que o Joãozinho não está fazendo, agora ?”

Constatação III

Não se deve confundir mandão, que, entre outras definições do Aurelião, quer dizer “aquele que gosta de mandar com arrogância, ou que gosta de mandar” com mandrião – indivíduo preguiçoso – muito embora, exista muito mandão que, justamente, possui essa característica por ser mandrião

Constatação IV (E também dúvida crucial).

A abertura econômica, a globalização, são coisas maravilhosas. Apenas têm um senão: só atingem uma minoria. Quanto a maioria ? Ora, falemos de coisas mais amenas… Afinal, desde que o mundo é mundo, as minorias, as elites dirigentes, sempre agiram em benefício próprio, em detrimento da maioria. Há alguma razão plausível, neste começo de século – e  outros mais –, para que seja diferente ???

Constatação V

Não se trata absolutamente de ser machista, mas não é possível imaginar, por mais boa vontade que se tenha, uma mulher fazendo uma baliza num lugar bem apertado. Tenho dito!

Constatação VI (Via pseudo-haicai).

A gente fica inerme,

Diante de tanta violência.

E pior: se sentindo um verme.

Constatação VII (Via pseudo-haicai).

Ela é uma mulher esfuziante.

Pena que vive mascando chicletes

E os estica qual barbante…

Constatação VIII (Via pseudo-haicai).

O cantor tinha topete:

Se metia a cantar

E era só falsete.*

*Falsete = Voz esganiçada.

Constatação IX (De um mundo cão, digo, mundo Homem).

Nesse mar de desempregos, que se verifica em todo o mundo, inclusive em nosso país, há oferta de empregos na área de informática. São os empregos, tão conhecidos, que criam desempregos…

Constatação X

Rico não vê obstáculos a sua frente; pobre, tropeça na própria sombra.

Constatação XI

Em certos países, “Mens sana in corpore sano” não é levado nem um pouco a sério porque os governantes consideram o latim uma língua morta.

Constatação XII

Sob condição normal

De pressão e temperatura

Tem muito marginal

Que abre qualquer fechadura.

Constatação XIII

E, também, sob condições normais

De pressão e temperatura

Ela, nua, antes dos esponsais

Era uma fulgurante pintura…

Constatação XIV

E, ainda, sob condição normal

De pressão e temperatura

O problema econômico social,

Com as tais privatizações, perdura…

Constatação XV

Em certos países, o horário político é obrigatório; o voto é obrigatório. Governo e políticos decentes não são obrigatórios…

Constatação XVI

Sob condição normal

De pressão e temperatura,

Não sei por que,

Quem se julga o tal,

Se pôs a proclamar

Que, graças o real,

O povo pode comprar

Até dentadura.

Dúvida crucial:

Pra mastigar o quê ?

Constatação XVII

E como dizia o ancião: -“Graças ao viagra, minhas manhãs, tardes e noites estão sendo menos desperdiçadas e, dependendo da parceira, poderiam até ser melhor aproveitadas”…

Constatação XVIII (via psseudo-haicai).

A pertinácia,

Nem sempre,

Evita a falácia.

Constatação XIX

Rico vive endinheirado; pobre, endividado.

Constatação XX

Leitor,

Afinal,

Por favor,

Entenda:

A vida,

Bem

Ou mal

Vivida

É também

Uma essencial

Contenda.

São poucos,

Meio loucos,

Os ganhadores.

A maior parte,

Destarte,

São perdedores…

Constatação XXI (Via pseudo-haicai).

O silêncio e a paz do monastério

Eram infinitamente maiores

Que aqueles, lá, do cemitério.

Constatação XXII

E como filosofava o ancião: -“Os excessos e a qualidade do que você comeu na juventude, você paga na velhice. Em todos os sentidos”…

Constatação XXIII

Pobre é careca; rico é calvo.

COISAS QUE PRECISAM SER INVENTADAS.

– Velhice auto-administrante.

– Pão, sem produto químico, que não fique como borracha no dia seguinte.

– Remédio contra a rabugice.

– Desvirador automático de cocho que possa ser usado tanto para suínos como para pessoas.

– Peneira fina para peneirar cara grosso.

– Catapultador para catapultar cara chato pra catalputa que o pa, digo, para bem longe de onde a gente se encontra.

– Religioso que não diga que a religião dele é a melhor, a verdadeira ou a mais certa de todas.

– Polemista, de qualquer assunto, que não seja fanático.

– Hooligans (quando forem do exterior) e torcida uniformizada que só se dedique a causas nobres.

– Retrato de carteira de identidade e/ou, para aqueles que viajam, passaporte nos quais, a gente não saia com cara de “Procurado pela polícia”.

– Empresa de pesquisa de opinião pública que não seja facciosa.

– Removedor de mancha a base de um simples assoprão.

– Viagra pra mulher meio fria.

– Viagra pra mulher muito quente.

– Calçada, com laje solta, que não te espirre em dia de chuva.

– “Desapelador” pra programas de televisão que são eminentemente apelativos.

– Jogador de truco que me ganhe.

– “Despalpitador” automático que anule palpites que são, na sua totalidade, errados.

– Pimenta do reino que não reine em parte alguma do nosso corpo.

– Sentença que satisfaça todas as partes em litígio.

– Chuvas mais gentis e delicadas que não provoquem danos.

– Restaurante que permita que você pendure a conta diante de uma situação de aperto, ou não.

– Carpideira para chorar pelo leite derramado.

– Robô para ouvir ladainha.

Rumorejando (Será que efetivamente vão lançar no mercado cuecas e meias com fundo falsos, perguntando). – por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I (De diálogos desencontrados).

Exclamou a mulher que estava ao telefone: -“Caiu a ligação”.

Quis saber o marido que estava lendo o jornal: -“E ela se machucou ?”

Constatação II (De diálogos esclarecedores).

-“Afinal, aquele esquema de reencontros, de aproximações sucessivas para reatar com a tua ex-mulher acabou ocorrendo ?”

-“Que nada. Arrumei uma outra, muito melhor”…

Constatação III (De elucubrações, com conselhos úteis).

A palavra caduca pode ser escrita também da seguinte maneira 2k+du, senão vejamos:

Caduca, colocando em evidência “ca”, segue-se: ca(1+1)+du = 2ca+du; ca = a constante k,  donde caduca = 2k+du, c.q.d.*

*Se você ainda não aprendeu c.q.d. quer dizer como queríamos demonstrar, conforme Rumorejando já andou divulgando em tempos imemoriais.

Constatação IV (De resposta “bazofiamente” “gabola”).

“Você conseguiu resolver aquele problema que eu depois de mil e uma tentativas não consegui ?”

“Claro! Não só resolvi como achei a solução muito fácil, muito elementar”…

Constatação V (Via pseudo-haicai).

Procurou, com acuidade,

Uma rua, sem buraco, lá,

Na sua “desadministrada” cidade.

Constatação VI

Quando a gente estudava no ginásio, a Cadeira de História do Brasil, os livros e os professores, da época, enalteciam os Bandeirantes, sob a alegação que eles desbravaram o interior, abrindo novos caminhos, quando, na verdade, iam em busca de riquezas, como qualquer povo colonialista fez em todos os tempos, seja na América, Ásia, África, nesses continentes todos, enfim. O que os Bandeirantes escravizaram, torturaram e mataram índios, dificilmente é abordado, como a  História Oficial deveria. Tá na hora, pois, de revisá-la. Mormente, levando-se em conta que já comemoramos os 500 anos do descobrimento que só foi na base de oba-oba.

Constatação VII (De respeitosa mensagem aos senhores filólogos).

Assim como existe a figura do livreiro – não me refiro somente ao vendedor de livro, mas aquele que te orienta, uma vez que também costuma ler as obras do seu estoque –, existe, também, o “videolocadeiro”. A sugestão, do neologismo, fica aqui consignada para a sua respectiva adoção. De nada!

Constatação VIII

Não se deve confundir faturamento com futuramente, muito embora todo e qualquer faturamento que seja contra a nossa douta e ilustre pessoa poderia e deveria ser feito futuramente, isto é, adiadas sine die e sem juros. No caso do faturamento ser feito por nós, seria de bom, muito bom, de ótimo alvitre que fosse para pagamento a vista, sem desconto. Aliás, foi agindo dessa maneira que um comerciante descobriu como “tirar proveito em tudo”, tão em voga hoje em dia em vários setores…

Constatação IX (Via pseudo-haicai).

O gerente ficou tiririca:

Ao invés de assinatura

Uma ilegível rubrica…

Constatação X (Ah, esse nosso vernáculo).

Eles foram educados, para serem educados. Qual o quê !…

Constatação XI (Via pseudo-haicai).

Esgueirou-se do hospital.

Assim, sobreviveu

A mais de um carnaval…

Constatação XII

As estações do ano estão se antecipando em um mês. Talvez pelo fato da Terra estar se inclinando. Mas, com toda a segurança, não deve ser pelo peso da consciência da Humanidade. Principalmente daquela que se considera civilizada. Muito menos, da dita que se arvora a civilizar os outros…

Constatação XIII

A fim de, em tempo algum, não ser acusado de machismo, Rumorejando sugere que nas conjugações dos verbos também sejam incluídos os pronomes femininos “ela” e “elas”. Exemplo:

Eu rabisco

Tu digitas

Ele escreve

Ela datilografa

Nós garatujamos

Vós “vernaculais”

Eles redigem

Elas transcrevem.

Outro exemplo:

Eu digo

Tu sussuras

Ele declara

Ela resmunga

Nós falamos

Vós exclamais

Eles balbuciam

Elas fofocam.

Constatação XIV

A amiga da japonesa grávida, que há muito tempo não a via, perguntou simpaticamente:

-“É um japonesinho que vem vindo aí ?”

-“O Kenitiro, meu marido, que você ainda não conhece e que também é japonês, espera que sim”…

Constatação XV (Teoria da relatividade para principiantes, não necessariamente apenas pros vetustos, óbvia).

É muito melhor sofrer de priapismo – excitação sexual excessiva – do que de impotência – “desexcitação” sexual excessiva.

Constatação XVI

Efetivamente, num aspecto, as mulheres já se igualaram aos homens: as mesmas barbaridades que eles cometem no trânsito, elas também estão cometendo…

Constatação XVII

Sob condições normais

De pressão e temperatura,

Ela, sem seus percais,

Mereceria uma moldura…

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I

Foi o fabricante de parafusos, aquele que tinha um parafuso a menos, que, com as medidas governamentais, entrou em parafuso ?

Dúvida II

Se, eventualmente, o psicanalista conhece e não gosta da pessoa de quem a gente, na sessão, está se queixando e/ou falando mal, não é ele que nos deveria pagar a consulta ou, pelo menos, fazer um razoável desconto ?

Dúvida III

“Me diga, prima: Prima pela ausência a prima do teu primo ?”

Dúvida IV

É mentira, ou verdade, que é mentira ?

Dúvida V

Se os franceses fossem tão apaixonados por futebol como nós, brasileiros, e se não existisse no seu hino nacional o “le jour de gloire est arrivé”, o dia de glória chegou, será que, depois de haverem levantado a Copa do Mundo – vencendo na final, estrondosamente, o Brasil –, será que eles acrescentariam esse tão patriótico trecho ?

Dúvida VI

A alternativa para fugir dos remédios com efeito colateral é recorrer à medicina alternativa ou existe alguma outra alternativa ?

Dúvida VII (De um diálogo com a famosa rima em “ão”, tão raramente usada…)

-“Não é a televisão

Que deixa teu patrão

Mais bobão ?”

-“Meu caro irmão,

Se isso não,

O que, então ?”

Dúvida VIII

Sabendo-se que as ostras somente elaboram uma pérola quando doentes, se alguma espirasse perto de você, você exclamaria “saúde!”, com sinceridade ?

Dúvida IX (Via pseudo-haicai).

Uma derrota do Brasil

Ou do teu time, também te deixa

Uma sensação de vazio ?

Dúvida X (Via pseudo-haicai).

À perspectiva de eleição,

Você também considera

Uma encheção ?

Dúvida XI

Era a atriz que, esperando sua vez de entrar no palco, ficava, no bastidor, bordando com bastidor?

Rumorejando (Lamentavelmente, os deputados, agora, com a verba indenizatória, continuam aprontando). – por juca (josé zockner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Perguntou a adolescente para sua amiga, também adolescente:

-“O que você fala com a tua psicóloga ?”

-“Geralmente sobre os meus pais. E você ?”

-“Eu não. Eu falo sobre eu mesma. Acho bem mais interessante”.

Constatação II (De ditados adaptados).

Nem só de ego massageado vive o homem.

Constatação III

Se o fenômeno El Niño ou El Niña não der logo às de vila-diogo, não só muita água passará debaixo da ponte, como também por cima. Lamentavelmente.

Constatação IV (Passível de mal entendido).

-“Aquelas águas termais eram tão afrodisíacas que eu até consegui fazer amor com a minha mulher”.

Constatação V (Via pseudohaicai).

A éguinha relincha

Pra saudar o cavalinho

Seu cupincha.

Constatação VI (Aparentemente paradoxal).

Apalavrou que não cumpriria sua palavra.

Constatação VII (De conselhos úteis, via pseudo-haicai).

Em época de inflação,

Não adianta juntar

Tostão por tostão.

Constatação VIII (De ditados adaptados).

Em terra de idiotas, quem é meio idiota é rei, presidente, ministro, senador, deputado, etc.

Constatação IX (Via pseudo-haicai eufemística).

Levou uma tunda,

Ali, onde as costas

Mudam de nome…

Constatação X

Em terra de vaidoso, quanto mais caro forem os preços dos ingressos dos espetáculos mais sucesso de vendas terá.

Constatação XI (Via pseudo-haicai).

Aquele exame

Quando fiquei

Pra 2ª época: infame!

Constatação XII

Quando você cumprimentar um cara chato: “como é que vai ?”, não tenha dúvida que ele vai se pôr a explicar, interpretando o teu cumprimento como uma pergunta.

Constatação XIII (Via pseudo-haicai).

O ditador se compraz

Com gente do tipo

Leva-e-traz.

Constatação XIV

As empresas que criam sua publicidade na base do antes e depois, como por exemplo, produtos que ajudam a emagrecer, eliminação de rugas, queda de cabelos, ou ainda eliminar os cabelos brancos deveriam, a fim de evitar mal entendidos, colocar o imprescindível aviso: “Não leia da direita para a esquerda, ou de baixo para cima”…

Constatação XV (Via pseudo-haicai).

O equilibrista, no arame,

Parece ter com ele

Um elo, um liame.

Constatação XVI (De conselhos úteis).

Se você só pensa em coisa ruim, pare de acompanhar o noticiário em geral e o policial em particular. De nada !

Constatação XVII (De diálogo via pseudo-haicai).

-“Bradaram aos céus !”

-“Quem ? Os religiosos ?”

-“Ora veja, os incréus”.

Constatação XVIII

A tesão obnubila.

Constatação XIX (Via pseudohaicai).

Foi com um pouco de nojo

Que comeu o pastel da esquina.

Mas, com arrojo !

Constatação XX

E como dizia aquele torcedor fanático: -“A bandeira, a camisa, o distintivo dos outros times, para mim, é poluição visual”.

Constatação XXI (De diálogos meio tangenciais).

-“Eu te adoro. Você para mim é como uma filha”.

-“Só como filha ? Como mulher, não ?”

-“Não. Só como filha. Mas sabe, não é por nada não, mas, em alguns casos, acho o incesto perfeitamente justificável”…

Constatação XXII (De conselhos úteis, óbvios).

As qualidades da erva mate já foram, várias vezes, enaltecidas por Rumorejando. No entanto, há uma única restrição, ou melhor, uma recomendação: é que ele não deve ser ingerido em grande quantidade pouco antes de você ir a um espetáculo público (teatro, concerto, balê, cinema, circo, etc.), com risco de você, além de cada vez ter que pedir licença pro seus vizinhos de poltrona para passar, perder grande parte da apresentação. De nada !

Constatação XXIII

E quando o ator estava sendo entrevistado, a uma determinada pergunta, respondeu: -“Sabendo-se como é a humanidade, é muito mais fácil, mais natural, interpretar o papel de bandido do que o de mocinho”…

Constatação XXIV

E como ameaçou, pseudohaicaimente, aquele pai ao filho que havia acabado de tirar o seu título de eleitor:

“Leva um peteleco

Se não votar

No cacareco*”.

*Cacareco era o nome de um rinoceronte que fazia parte do zoológico da cidade de São Paulo e que, na década de 50 ou 60, recebeu a maior votação para a Câmara de Vereadores daquela cidade, numa das maiores manifestações de protesto contra os políticos já efetuada em nosso país e que, face o que vem ocorrendo, não surpreenderia a ninguém a repetição de algo similar…

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I (Via duplo pseudo-haicai).

Foi o marreco

Que irritou o galinheiro

Tocando reco-reco ?

E foi o Maneco

Que tomou umas e outras

Num baita caneco ?

Dúvida II (Ah, esse nosso vernáculo).

Foi o Cláudio que claudicou com a Cláudia, clamorosamente ?

Dúvida III

Tá certo! Eu sou um sujeito com o pé na terra. Mas, como é que fica ? O planeta Terra, como os demais, não está solto no espaço ?

Dúvida IV

Quando o teu interlocutor te conta uma mentira, daquelas bem escabrosas, é você que fica envergonhado ?

Dúvida V

É somente quando todos tiverem uma cidadania digna é que ninguém precisará cuidar do nosso carro ? Mas, quando todos tiverem uma cidadania digna, será que ainda existirá esse meio de transporte ?

Dúvida VI

Se o feminino de maestro

É maestrina,

O feminino de canhestro

Não deveria ser canhestrina ?

E o de destro

Destrina ?

Dúvida VII

Foi o médico, especialista em alergia, que não parava de espirrar ?

Dúvida VIII

Foi o caíque,

Do cacique,

Que bateu no dique

E foi a pique ?

(Por favor,

Caro leitor,

Não se vá, fique.

Eu prometo, ao senhor

Que não haverá repique).

Rumorejando (O jogador do meu Paraná inspirou a França a fazer gol com a mão para se classificar, constatando). – por juca (josé zockner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

O Ratinho, há tempos, declarou – e sua frase teve ampla repercussão entre jornalistas, críticos, telespectadores, etc. – que se houvesse intenção de educar o povo brasileiro, utilizando essa notável mídia que poderia ser a televisão, os programas da Fundação Roberto Marinho, os tele-cursos, seriam levados ao ar em horário nobre e não praticamente na madrugada. E tudo ficou na mesma.

Constatação II (Para recitar pra ela).

Que estranho !

Ontem a conheci

E parece que a vi

Desde antanho*.

*Antanho = Antigamente, outrora.

Constatação III

Quando o septuagenário leu o texto do escritor uruguaio Mario Benedetti, intitulado Síndrome, se sentiu perfeitamente identificado com o autor:

“Todavia tenho quase todos os meus dentes

quase todos meus cabelos e pouquíssimas cãs

posso fazer e desfazer o amor

subir uma escada de dois em dois

e correr quarenta metros atrás do ônibus

ou seja que não deveria me sentir velho

mas o grave problema é que antes

eu não me fixava nestes detalhes”.

Constatação IV

A doce ilusão sempre acaba redundando amarga…

Constatação V

A loira burra que faz operação plástica, em certas regiões do corpo, quase sempre as mesmas, muda apenas o invólucro…

Constatação VI (De conselho isonômico).

Se você tem um filho de 20 anos que não quer estudar e, muito menos, trabalhar, não corte a mesada dele. Afinal, tá cheio de político e administrador que não faz nada e nem por isso ele tem os seus proventos cortados.

Constatação VII (Via pseudo-haicai).

Quem se julga o tal,

Não dá outra:

Boçal.

Constatação VIII

O mais grave da ignorância é não se dar conta dela.

Constatação IX (Teoria da relatividade para principiantes).

Se a sabedoria pode conduzir à loucura, é muito melhor morrer louco do que burro.

Constatação X

Pobre é caloteiro; rico é inadimplente.

Constatação XI

Perguntou o médico psiquiatra ao seu paciente: -“E então ? Como é que vai indo ?”

Respondeu o paciente: -“Mais ou menos. Tenho administrado razoavelmente minhas crises conjugais, depressivas, financeiras e existenciais”.

Constatação XII

A humanidade é ineducável.

Constatação XIII (Ah, esse nosso vernáculo, via pseudo-haicai).

Na Alfama,

Havia uma azáfama

Em busca de fama.

Constatação XIV

Ronca a mulher,

Ronca o cachorro.

O que mais se quer ?

Que, pelo menos, em coro.

Constatação XV

Rico tem necessidades imperiosas; pobre, é afoito.

Constatação XVI (Via pseudo-haicai).

Quando ouviram meu canto,

Os críticos, com a ousadia,

Fizeram cara de espanto.

Constatação XVII (Ah, esse nosso vernáculo).

O abúlico, metido a áulico, não sabia jogar bolinha de búrico. (No Rio de Janeiro, prezado leitor, se diz búrica).

Constatação XVIII (Via pseudo-haicai).

Truco, sem lúpulo,

É falta total

De escrúpulo.

Constatação XIX

Em certos países, quem consegue trabalho, consegue; quem não consegue, não consegue e fica por isso mesmo. Elementar, meu caro Watson…

Constatação XX (Via pseudo-haicai).

Alma, já não havia.

Mostrou, até,

Sua radiografia.

Constatação XXI

A grande incidência

De assaltos na rua

É uma verdade nua e crua,

Uma eterna reincidência.

Constatação XXII (Via pseudo-haicai).

Sua conversa opaca

Enchia a paciência

Paca.

Constatação XXIII (De alguma derrota de algum dos nossos times, algures, via pseudo-haicai).

Ficamos todos aturdidos

Com os três a zero.

Até hoje, ardidos…

Constatação XXIV (Ah, esse nosso vernáculo).

No decurso das férias, ela fez um curso para não mudar o curso das coisas. Acabou mudando o curso da minha história. Vou entrar com um recurso, sem decurso de prazo e sem muito discurso. Depois, participar de um concurso. Espero não ficar no percurso, pois creio que a banca não fará papel de amigo urso. Afinal, não se pode perder o “purso” (Perdão, leitores).

Constatação XXV (Via pseudo-haicai).

Até sem nitidez,

Deu para perceber:

Pura frigidez.

Constatação XXVI

E como dizia, via pseudo-haicai, o adepto do ócio total:

“Desocupação

Nunca gera

Preocupação”.

Constatação XXVII (gauchesca).

Me creia:

O doidivanas

Volta e meia

Se embriagava

Pois tomava

Dúzia de carraspanas

E ficava

De cara cheia.

Que “peleia”!

Constatação XXVIII

E já que falamos no assunto, em outra constatação, com a onda de violência, o perigo não está somente nas ruas; também, nas calçadas…

Constatação XXIX (Via pseudo-haicai).

Me abalo,

No trânsito,

Com tanto gargalo…

Constatação XXX

Rebola,

A Jane do Tarzan,

Toda gabola.

Até parece

A Chita pela manhã.

E quando anoitece..

Rumorejando (Que pena que o apagão não apagou os políticos, lamentando). – por juca (josé zokner) / curitiba

Constatação I (Sem apelar…)

E quando a pobre da mulher vinha se aproximando do bar para bronquear e levar o marido pra casa que, naquelas alturas, como de praxe, já estava com o “caco cheio”, ele se agarrou na ponta da mesa e, pseudohaicaimente, se pôs a gritar:

“Me acuda!JUCA - Jzockner pequenissima (1)

Lá vem a miss bocona,

A bocuda!”

Constatação II (Passível de mal entendido).

“Ela estava com o Chico”.

Constatação III (De conselhos úteis, óbvios).

Para curar a sua dor de garganta, minha senhora, não tome a medicação indicada pelo seu médico com água gelada. De nada !

Constatação IV (De conselhos úteis, não tão óbvios).

Nunca subestime o teu interlocutor. Afinal, o vigarista que passa o conto do pacote ou o do bilhete premiado se faz de bobo para ser “enganado” e passado para trás pelos “espertos”, ou melhor, pelos incautos. De nada!

Constatação V

Rico fala das condições meteorológicas; pobre, do tempo.

Constatação VI

Não se pode confundir receio com recheio, muito embora quando se come um pastel sempre se tem receio de que o recheio seja de vento e, com isso, arrisca de, já na primeira mordida, se apanhar um resfriado, gripe, ou algo desagradavelmente similar.

Constatação VII

E como dizia, pseudo-haicaimente, aquele operário, salário mínimo, que passou sua vida sem amealhar um p. centavo, depois de se politizar por esforço próprio, naturalmente:

“Do trabalho, o fruto

Resulta pra outrem

O usufruto”…

Constatação VIII

Não se deve confundir talento com tá lento, muito embora muita gente de talento viva escutando: “Tá lento”.

Constatação IX

Não se deve confundir gama com cama, muito embora exista uma gama de tipos e modelos de cama para todos os gostos. Ressalte-se, ainda, a bem da verdade, que a finalidade de todas é – mais ou menos: mais menos do que mais, ou, talvez, até mais, mais do que menos – a mesma, isto é, dormir. Creio, caro leitor, que ficou mais ou menos claro essa tão didática explicação.

Constatação X (Ah, esse nosso vernáculo).

Súplice,

A tréplica

Do cúmplice,

Embestou.

Não contestou

A réplica.

DÚVIDAS CRUCIAIS

Dúvida I (Cuja resposta é de transcendental importância para o futuro da Humanidade…)

Tem gente que, quando espirra, não diz “atchim”, como é de praxe, mas apenas “atchi”, suprimindo o “m”. Seria o que se pode chamar de um espirro capenga ?

Dúvida II

Sob condição

Normal

De pressão

E temperatura,

Ela, afinal,

É candura,

E ternura,

Quando carente,

Somente

Na posição

Horizontal ?

Dúvida III (Via pseudohaicai).

Urdiu uma trama

Pra levá-la*

Pra cama ?

*A coberta, prezado leitor, apenas a coberta. Não o que o prezado leitor estava pensando. Aliás, prezado leitor, vamos parar de pensar só naquilo, tá ?

Dúvida IV

Quem será que inventou essa mentira de “quem com ferro fere, com ferro será ferido” ? E também aquela outra: “Quem semeia ventos, colhe tempestades” ?

Dúvida V

Os candidatos que se apresentam na televisão são atores – alguns maus; outros péssimos – e nunca se deram conta disso ?

Dúvida VI

-“Opa!

Cadê a sopa ?

Será que enfurnou

O cozinheiro ?

Ou, por ser ligeiro,

O caldo entornou ?”

Observação: Em certos países, as palavras “sopa” e “cozinheiro” podem ser substituídas por outras mais condizentes com a situação local.

Dúvida VII (Via pseudo-haicai).

Fazer regime,

Em dia de festa,

É, de lesa-pátria, um crime ?

Dúvida VIII (Via pseudo-haicai).

Orgulhosa, impávida,

Foi a invicta

Que apareceu grávida ?

Dúvida IX (Via pseudo-haicai).

Preciso do seu préstimo:

Daria para me fazer

Um pequenino empréstimo ?

Dúvida X (De cultura geral, via pseudo-haicai).

Foi o Tarzan

Que esgrimou com o pirata ?

Ou foi o Peter Pan ?

Dúvida XI

Rumorejando está constituindo um concurso para ver qual foi o político que mais mudou de partido em termos mundiais, Brasil, Paraná, etc. Quem você acha que ganha ? (Cartas à redação). Como prêmio, o vencedor fica dispensado de assistir o programa de propaganda política.

Dúvida XII

Sinceramente, o que é que você pensa do motorista que não te agradece quando você “cede o passo”, o deixando passar na sua frente ao sair duma garagem, entrar na preferencial, ou algo assim ?

Dúvida XIII

Para que é que serve mesmo a bomba atômica ?

Dúvida XIV

Plutocrata é o sujeito que só assiste desenho animado do Pluto ?

Dúvida XV

Quem afirma que até hoje não perdeu um texto que havia batido no computador é um refinado mentiroso ?

Dúvida XVI

Foi o Homem das Trevas que, ao ver pela primeira vez a luz do sol, não só ficou ofuscado como, também, levou um baita susto da sua própria sombra ?

Dúvida XVII

O suspeito era um cidadão confiável. Tava acima de qualquer suspeita ?

Dúvida XVIII (Lucubrativa).

Você não acha, prezado leitor, que a palavra “porciúncula”, que quer dizer pequena porção, porçãozinha, por ser polissilábica, deveria significar grande porção, porçãozona ?

Dúvida XIX

Por que será que tem tanta gente com cara de caricatura ?

Dúvida XX

Será que não foi um disco voador que provocou o apagão?

Rumorejando (A chegada da estação primavera em Curitiba ainda aguardando). – por juca (josé zockner)

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação IJUCA - Jzockner pequenissima (1)

Rico é aristocrático; pobre, é metido.

Constatação II

Rico é pragmático; pobre, é lunático.

Constatação III

Vai começar o debate,

No horário político,

Terrível e execrável,

Eivado de duvidança

E desesperança.

Prepare-se para ouvir disparate

E argumento nada analítico.

Bem melhor ouvir criança

Incluso na linguagem tatibitate.

Constatação IV

Rica tem o rei na barriga; pobre, todo ano, um filho.

Constatação V

Depois da vitória de Rubinho Barichello, em Monza, o piloto brasileiro, por quem a gente torce e sofre, afirmou e reafirmou que o momento é manter o pé no chão. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que é importante manter o pé no acelerador. A propósito das poucas vitórias de Rubinho, vale lembrar que Arquimedes proferiu: “Dai-me uma alavanca e um ponto de apoio que eu moverei o mundo”. Pelo jeito, Rubinho poderia dizer: Dai-me um bom carro na Fórmula 1 que eu serei o campeão do mundo…

Constatação VI (De um estulto perfil).

Era um borra-tintas,

Um exímio sarrafaçal*,

Metido a dar fintas.

Um insigne boçal.

*Sarrafaçal = “1. indivíduo inútil, preguiçoso”.

2. “profissional inapto” (Houaiss).

Constatação VII (Teoria da Relatividade para principiantes).

É muito melhor o nosso time fazer um gol com a mão e o juiz validar, ainda que a gente fique morrendo de vergonha, do que o nosso time sofrer um pênalti e o juiz não marcar.

Constatação VIII

Não se pode confundir barulho com baralho, muito embora no jogo de truco que é jogado com baralho e que onde este assim chamado escriba não encontra adversário, quem faz muito barulho, às vezes, ganha o jogo…

Constatação IX

O detetive

Particular

Contratado

Pra seguir

E flagrar

Um marido,

Acostumado

A desmando,

A trair,

Levou

Azar:

Desligado,

Ficou

Caído,

Ferido

Quando

Escorregou

Num declive

E tropeçou

Num aclive.

Coitado!

Constatação X

O posudo,

Em baixa, estava.

E se achava

Sortudo

E que tava

Com tudo.

Constatação XI (De um pseudo-soneto).

Apresentou uma lista pra ele

Ele ia ter que dormir no paiol

E que ela não era seu lençol

E que não tinha pena dele.

Ele ficou muito triste e azedo,

Dormir naquela espécie de macega

Ali, seria difícil um esfrega-esfrega,

E viu que era sério, não era brinquedo.

Foi consultar uma benzedeira

Dizendo que teria de ficar no estaleiro

E desfilou sua choradeira,

Como era época de nevoeiro

Poderia pegar um resfriado

E que tal jamais acontecera com algum seu antepassado.

Constatação XII

Foi a tartaruga

Mesmo afrouxando o passo,

Que chegou ao destino

Com o sol a pino,

Na casa do namorado

Cansada,

Cheia de ruga,

Um bagaço?

Coitada!

Coitado!

Constatação XIII

Quando meu celular me chama, eu já sei quando é a minha sogra que está chamando. O celular não tilinta, nem vibra. Ele vocifera, esbraveja, impreca, rosna.

Constatação XIV

Pela intenção do Brasil de comprar aviões de combate na França, sem levar em conta as ofertas da Suécia e dos Estados Unidos, o nosso país contaria, dentre outros, com o apoio daquele país para o Brasil fazer parte do Conselho de Segurança da ONU. Este negócio do Brasil ser membro do Conselho de Segurança me deixa numa dúvida crucial que me faz relembrar com o seguinte fato, já contado na coluna: Em 1970, este assim chamado escriba estava estagiando na França, mercê de uma bolsa de estudos, oferecida pelo governo francês. Aproveitando as curtas férias nas festas de fim de ano, resolvi conhecer Londres. Chegando a este país, me dirigi às informações turísticas, em busca de um hotel barato. À atendente, com cara de enfastiada, perguntei: “Do you speak french?” O francês era minha língua estrangeira mais fácil para me fazer compreender e entender. E ela, me olhando de alto a baixo, com desprezo: “What for?” (Para quê?)

Constatação XV

Com relação à constatação anterior, talvez a gente esteja por fora. Quando o presidente Lula disse, no dia 7 de setembro, que o Brasil vai comprar os aviões da França ele, apenas, tão-somente, queria impressionar a mulher do presidente Sarkozy, madame Carla Bruni, que pelos seus dotes merece os encômios respeitosos de todos.

Constatação XVI

Rico é agradável; pobre, censurável.

Rumorejando (Pelo jeito que o futebol está se caracterizando, quem fizer mais falta é que ganha a partida?, perguntando) – por juca (josé zokner) / curitiba

O terror que matura

I

Oriunda de respeitável progenitura:

A mãe, professora de corte e costura;JUCA - Jzockner pequenissima (1)

O pai, escriturário na magistratura,

Era, ela, uma formosura,

Uma pintura,

Digna de figurar numa gravura,

Ou numa xilogravura,

Daquelas com moldura,

Trabalhada em artística ranhura.

Mediana estatura,

Cabelos pretos, sem tintura,

Dentes, perfeitos, uma alvura;

Sorriso, sem amargura,

Franco, aberto, uma quentura;

A mirada, uma brandura,

Muito límpida, muito pura,

De olhos de jabuticaba, uma pretura;

E um poço de ternura!

Ah! E a cintura!

Parecia duma tanajura…

Educação, nem falar. Que finura!

Dada a não pouca leitura,

De sutil e elevada literatura,

E um dedilhar, sem partitura,

Além de se dedicar à feitura

De origami, de dobradura.

E, no jardim, à floricultura,

Onde, às vezes, ouvia o canto da saracura.

II

Ele, era só feiúra,

Como uma caricatura.

Duma lividez, duma transparente brancura

Num monte de ossatura

Como se filho fosse de alguém de média estatura,

Mas de não muita largura.

E do Cavaleiro da Triste Figura

Àquele que, até com moinhos, mostrou bravura

Não tendo como vestidura

A respectiva armadura.

Além disso, morando numa lonjura.

E, mais, um escrachado caradura

De péssima postura,

Ou melhor, somente impostura:

Noites a fio, jogava, com fundura,

Em busca de fácil fartura;

À mão, um copo daquela bebida de lúpulo, de levedura

E um eterno cigarro, alterando, dos lábios, a comissura.

Receitas, infalíveis, de fazer estrago em qualquer criatura.

Tal proceder, sem dúvida, merecia ampla censura.

Não confundir com àquela do tempo da ditadura,

Quando até se usou a indefectível tortura,

Nos governos da chamada linha dura,

Bem antes do que se convencionou chamar Abertura.

O salário, parco, da Prefeitura,

Dum trabalho que exercia com sinecura,

Na base de quem não se apura,

Obviamente, redundava numa apertura.

As dívidas, não poucas, proveniente de mordedura,

Mesmo que firmadas numa caprichada escritura,

Fatalmente seguiam o destino da pendura

Que postergava, com ensaboadura,

Para uma época futura

E que, da memória, apagava com uma varredura.

De inteligência, não era nenhuma cavalgadura,

Daquelas que só falta a ferradura.

Era capaz de se pôr a falar, com desenvoltura,

Sobre, do quadrado, a curvatura

Ou, da circunferência, a quadratura.

E, se porventura,

Cometia alguma outra loucura

De imitar, de alguém, a assinatura,

Perfeita e sem rasura,

Em cheque, promissória ou fatura,

Fruto de condenável urdidura,

Resultava, se descoberto, nessa amargura

De ter que conseguir um alvará de soltura,

Alegando, ao delegado, tratar-se duma travessura

E no seu ilibado currículo, uma simples arranhadura;

Que não tinha intenção de viver numa cela escura

E que, afinal, toda a sua vida, agira com extrema lisura.

III

Essa atitude devassa, que o estado físico tritura

E o bolso, a conta corrente do banco, perfura,

Para ele, era adrenalina total, uma aventura,

Que foi obrigado de encerrar, uma fissura,

Quando sua saúde se deteriorou e sofreu uma ruptura.

Logo, ele, que nunca tivera um resfriado, ou uma rasgadura

E, muito menos, alguma forma de rendidura,

Parecendo, tudo, praga, maldição ou esconjura,

De nada adiantando os santos invocados em benzedura.

É que numa amorosa tertúlia, sobreveio uma velhice prematura

Àquela que deixa, um, e a parceira, em desventura,

E provoca na alma e no ego profunda machucadura.

Pouco antes, já vinha sentindo, no estômago, uma queimadura,

Somado a um mal-estar, a uma teimosa tontura,

Que o deixava, por um momento, com a vista obscura

E com a possibilidade de cair e sofrer uma fratura.

O médico, amigo desde a infância, adepto da natura,

Pespegou-lhe um susto, numa sincera e repreensiva secura:

“Não se trata de querer que você viva numa clausura.

No entanto, se dessa vida desregrada não abjura;

Se continuar nessa farra, para você uma gostosura;

Não se livrar do vício, dessa imbecil escravatura,

O teu amanhã nem eu nem ninguém te assegura,

Pois você, bem sabe, está cavando a própria sepultura.

Entretanto, preste atenção, você facilmente se cura:

Primeiro, tem que parar de comer fritura

Que absorve rios de gordura;

Não fumar, nem beber, dormir cedo, nada de diabrura;

Tem que consumir muita verdura,

Muita fibra e fruta não ácida, madura;

Nada de doce tipo quindim ou rapadura,

Se não vai ter – já, já – de usar dentadura”.

Os amigos acharam tudo aquilo uma frescura,

E que a prescrição parecia mais uma absurda propositura,

Ponderando que uma vida, assim, nem santo atura.

De início, o reproche, ele classificou de grossura,

Mas, apavorado, ou como dizem os italianos, numa “paúra”,

Resolveu mudar de vida, para uma mais segura.

Indubitavelmente, foi um tento de bela feitura:

Má alimentação, vícios e toda essa nomenclatura

Foi mudada com força de vontade de quem tem envergadura;

Passou a estudar e ler livros de grossa brochura

E a escutar música clássica e popular de fina tessitura,

Já que havia desenvolvido o bom gosto, por aquela altura;

Optou em fazer uma faculdade, uma Licenciatura,

Visando o almejado canudo, numa cerimônia de formatura.

Chegou até a pensar em Engenharia ou Arquitetura,

Sem descartar Agronomia, dado a discorrer sobre agricultura.

Melhorou o visual, que a gente, a si mesmo, augura:

Cabelo e barba aparados, dois banhos diários, total limpadura;

Entrou numa academia de ginástica para fazer musculatura

Com a intenção de ganhar peso, conforme, por aí, se assegura

E ficar com o tórax como os lutadores na era da gladiatura;

Passou a freqüentar ambientes de pessoas de boa catadura,

Onde o gosto apurado, aliado à boa educação, sempre fulgura;

A usar ternos com tecidos de excelente textura

E gravata, com grife, em camisa de abotoadura;

Pagou os credores, que não desgrudavam como atadura,

E, mais adiante, comprou, do ano, uma possante viatura,

Bem espaçosa, “nada de apertos, nada de miniatura”.

Também, numa pechincha, um apartamento, não de cobertura,

Mas tendo sacada com churrasqueira, para grelhados e assadura.

E suíte com hidromassagem, portaria e tetra-chave na fechadura,

Em imóvel localizado num terreno ajardinado, numa planura.

O pagamento: uma entrada, mais 20 anos, com juros da Lei da Usura,

Aproveitando um desconto graças a famosa Lei da Oferta e da Procura,

Àquela, que político promete revogar ao defender sua candidatura.

Decorou, tudo, com móveis em cedro, com caprichada entalhadura

E tapetes, feitos à mão, de razoável espessura.

IV

Nessa história, em condições normais de pressão e temperatura,

Deveria haver, com a jovem do início, alguma relação ou ligadura.

Mas, não. Ela só foi aqui lembrada por sua beleza, sua candura.

Seu sorriso, seu olhar, sua sensibilidade, sua doçura.

Bem! Cada um seguiu o seu destino, sem se cruzar, sem mistura,

Embora, o mesmo juiz de paz ter efetuado a legal lavratura.

E que passaram, em épocas distintas, a lua-de-mel em Cascadura,

Onde, anos após, retornariam para passar alguns dias em vilegiatura.

Ele, redimido, havia encontrado uma companheira, uma lhanura,

Gentilíssima, amável, cortês, sem um pingo de desmesura.

E ela, um companheiro, muito sério, trabalhador, uma polidura,

Um estudioso aplicado, um autodidata em matéria de cultura.

Obviamente, de todos as partes envolvidas, de amor eterno, muita jura,

Que, nesses casos, quase sempre, ao pé de ouvido se murmura

E, com ardor, se realizam num colóquio de extrema fervura.

Hoje, vivem felizes, com filhos, produto duma fértil semeadura

Numa paixão que, mesmo com a crise econômica, ainda perdura.

OUTRO OLHAR: LULA PALOMANES, a arte sem limite de transgressão – II – por bruno liberati / rio de janeiro

Uma mirada de viés que entorta a realidade. Um trabalho cerebral, com muito de experimentação e suor nesta procura.

Lula, esta é sua assinatura. Por trás dela está a pessoa física de Luiz Fernando Palomanes Martinho, que nasceu em 1963, na cidade do Rio de Janeiro. Mistura de espanhol com português, é bom que se saiba que não é cartunista, nem chargista.  Apesar de seu humor ferino, ele pode ser classificado como artista gráfico. Suas caricaturas são desconcertantes e soberbas. É quase impossível adjetivá-las. O espanto que suas artes provocam ultrapassam todas as categorias conhecidas. Admirador de Rembrandt , Velázquez, Francis Bacon, Picasso e Egon Schiele – Lula já passou Lula_Palomanesmuitas noites observando de perto e de longe as reproduções das obras desses mestres da pintura. (Não contem para ninguém, mas me informaram que ele não dorme à noite. Passa esse tempo lendo, desenhando e estudando as obras de seus artistas prediletos – só vai descansar quando o sol anuncia a manhã que chega, isto depois de comprar o pão na padaria da esquina).

Lula é um magnífico ilustrador e dono de uma personalidade forte. Imprime aos seus trabalhos um signo único, uma forma própria de elaborar a exageração, uma mirada de viés que entorta a realidade e a busca de uma nova forma a cada obra. Seu trabalho é cerebral, mas tem muito de experimentação e suor nesta procura. Além da influência dos grandes das artes plásticas, compõe seu aprendizado a observação de mestres do “campo gráfico”, como Luis Trimano, Cássio Loredano, Rubem Grilo, Ralph Steadman e Gerald Scarfe.  Mas não se pode dizer que botou tudo isso no seu liquidificador pessoal e saiu por aí desenhando. Sua expressão é algo que ultrapassa esse caldo cultural e se projeta como algo “inaudito”, talvez o único adjetivo que se aproxima da sua singularidade.

Começou a mostrar sua arte nas páginas de O Pasquim e depois migrou para a chamada “grande imprensa” do Rio de Janeiro – trabalhou em O Globo e no Jornal do Brasil. O nosso herói gráfico publicou seus trabalhos também nas revistas ImãNebelfpalter eGráfica. Fez capas para as editoras Zahar, Record e Rocco, ilustrou  as revistas SeleçõesPlayboy Ciência Hoje. Tem uma medalha de prata pendurada em sua prancheta, conferida pela Society for News Design por uma caricatura de Gore Vidal, que publicou em O Globo. Mas não pensem que Lula contemplou com sua arte apenas o mundo dos adultos , ele com grande sensibilidade e versatilidade também ilustrou vários livros infantis.

CARTOLA _outro_olhar_01CARTOLA

CHICO ANISIO_outro_olhar_02CHICO ANÍSIO

JOYCE_outro_olhar_06JOYCE

A FORMIGA & A CIGARRA (versão atualíssima) – captada na rede

arte livre.

arte livre.

Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas. Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando comida para o período de inverno. Não aproveitou nada do Sol, da brisa suave do fim da tarde e nem o bate-papo com os amigos ao final do trabalho tomando uma cervejinha gelada. Seu nome era ‘Trabalho’, e seu sobrenome era ‘Sempre’.
Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e nos bares da cidade; não desperdiçou nem um minuto sequer. Cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o Sol, curtiu prá valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir.
Então, passados alguns dias, começou a esfriar. Era o inverno que estava começando.
A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e aconchegante toca, repleta de comida. Mas alguém chamava por seu nome, do lado de fora da toca. Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu. Sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari amarela com um aconchegante casaco de vison.
E a cigarra disse para a formiguinha: – Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris. Será que você poderia cuidar da minha toca? E a formiguinha respondeu: – Claro, sem problemas! Mas o que lhe aconteceu? Como você conseguiu dinheiro para ir à Paris e comprar esta Ferrari? E a cigarra respondeu: – Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz. Fechei um contrato de seis meses para fazer show em Paris… À propósito, a amiga deseja alguma coisa de lá? – Desejo sim, respondeu a formiguinha. Se você encontrar o La Fontaine [autor da fábula original] por lá, manda ele ir para a puta que o pariu!!!


Moral da história :
Aproveite sua vida, saiba dosar trabalho e lazer, pois trabalho em demasia só traz benefício em fábulas do La Fontaine e ao seu patrão. Trabalhe, mas curta a sua vida. Ela é única!!! Se você não encontrar a sua metade da laranja, não desanime: procure sua metade do limão, adicione açúcar, pinga e gelo…


Rumorejando (Com a vitória de Rubinho Barrichello vibrando. Só por ele. Tal esporte continuo não apreciando. Esporte?) por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

O livro do meu grande amigo Valdir Izidoro Silveira, Escritos de Resistência – Quatro Décadas de Reflexão é leitura obrigatória para quem quer tomar conhecimento de nossa história e da luta do escritor em defesa das injustiças sociais. Rumorejandorespeitosamente recomenda.JUCA - Jzockner pequenissima (1)

Constatação II (De uma dúvida crucial).

Se a fórmula química da água é H2O, a fórmula do fogo é 1/H2O (Um sobre H2O) ?

Constatação III (De outra dúvida crucial).

A Progressão Aritmética decrescente é parente da Ordem e Progresso que consta na nossa bandeira, como os positivistas apregoaram?

Constatação IV

E a Progressão Geométrica é comadre da euclideana, analítica e da espacial?

Constatação V

A Pílula de Vida do Dr. Ross morreu?

Constatação VI

O médico mandou

Ela fazer uma dieta,

Mas ela se revoltou.

Ao invés de obedecer

Desbragadamente passou

A comer

O triplo da meta

Recomendada.

Finou.

Coitada!

Constatação VII (Quadrinha para ser recitada pelas mamães).

Vai dormir menino sapeca

Amanhã tem que ir à escola

E no recreio jogar bola

Pra não ser um Juca, digo, Jeca.

Constatação VIII

Não se pode confundir açulou que o dicionário Houaiss dá como 1 incitar (cão) para que morda, ataque ou se porte agressivamente (contra).

transitivo direto e bitransitivo

2 Derivação: por extensão de sentido.

provocar em (alguém) irritação, agastamento (contra); enfurecer, exasperar

Ex.: <ruídos muito agudos o açulam> <a. a torcida contra o time adversário> com azulou, que o mesmo dicionário diz, dentre outros3 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

pôr-se em fuga, retirar-se em debandada; fugir, escapar, até porque se um cão, açulado ou não vier em sua direção com ares indistintos e, se der no jeito, a melhor coisa é azular.

Constatação IX

“A tua prima escorregou

Quando me encontrou

E na bochecha me beijou”,

O marido explicou

Quando a mulher encontrou

Baton na sua gravata.

“Deixe-se de lorota!

Prefiro que você me conte

Alguma bravata.

Afinal, é inesgotável tua fonte

E a marca da bochecha não se nota.

Seu mentiroso,

Metido a talentoso

Seu descarado,

Seu safado!”

“Se eu não a tivesse segurado,

Ela teria se esborrachado

Na calçada”.

Coitada!*

Coitado!

*Não ficou devidamente esclarecido à qual das duas se refere o termo “coitada”. Tão logo Rumorejando tome conhecimento dará ciência aos seu prezados leitores.

Constatação X

O septuagenário não conseguia entender porque os atendentes esboçavam um sorriso – quando não, um riso – e iam falar com o gerente, pedindo esclarecimentos, quando ele estacionava no posto de gasolina e pedia: “Me encha o tanque com um hectolitro de gasolina comum”; quando no armazém pedia um decagrama de queijo e mais ou menos um decímetro de salame e um galão de manteiga. E, na casa de tecidos, 100 polegadas de determinado tecido. Coitado!

Constatação XI (Pseudo-soneto, da série Ah, o amor…).

Ternura

Olhos nos olhos e de mão dadas

O casal idoso senta na praça.

Será que ele diz piadas?

Ela ri. De alguma graça?

Súbito, ficam sérios

Se beijam como antigamente

Afinal, não há mistérios

Em se beijar de modo ardente.

Agora, ela apóia a cabeça no seu ombro.

E ele beija os seus brancos cabelos

Para quem passa, nenhum assombro.

Os vizinhos já estão habituados

Com essa sucessão de doces desvelos

Só os de fora ficam com olhos arregalados.

Constatação XII

Com a absolvição do ex-ministro e atual deputado federal Antonio Palocci pelo Supremo Tribunal Federal, deu na mídia: O ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso será o único a responder a ação penal por suspeita de participação na quebra do sigilo bancário e na divulgação dos dados do caseiro Francenildo dos Santos Costa”. Data vênia, como diriam nossos juristas, masRumorejando acha que o ex-presidente da Caixa quis fazer média, na época, com o então ministro Antonio Palocci. Ver a constatação seguinte.

Constatação XIII

Não se pode confundir costura com postura, até porque quando o garotão costura no trânsito, porque tem pressa em não ter nada a fazer, pondo em risco a sua vida e de outros, e porque assistiu a vitória do Rubinho na Fórmula I, está tendo uma postura digna de ser enquadrado como qualquer simples mortal, obviamente exceto deputados, senadores, ministros, juízes e desembargadores de um país de alhures.

RUMOREJANDO – PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES (16.08.09) por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

A torcida do Paraná contra o Bragantino chegou a gritar olé. É. Quem nunca come melado, quando come chega até a esquecer que pode se lambuzar na próxima. Mas, afinal. A gente estava acostumado a apenas levar e não dar olé…

Constatação II (E já que falamos no assunto, vamos externar nossa modesta e abalizada opinião):

A possibilidade do Paraná ser campeão

E ascender pra Primeira Divisão

É inversamente proporcional

A eu encontrar um adversário local,

Nacional ou mundial

Que me ganhe no truco.

Mesmo me deixando maluco.

Enfim, um cara bom…

Constatação III

Deu na mídia: O senador Artur Virgílio, que protocolou ações contra o presidente do Senado José Sarney, admitiu que manteve em seu gabinete um funcionário que estudava na Espanha. O líder do PSDB negociou com a diretoria do Senado o ressarcimento do dinheiro pago, R$ 210 mil em quatro parcelas”.

Moral I: Quem tem telhado de vidro não joga pedra no telhado do vizinho.

Moral II: Em certos países os desonestos são sempre os outros.

Moral III: Aparentemente, os dois não estavam do mesmo lado. A nossa relativa suposta sorte é que eles estavam se degladiando entre eles. Até a hora que sobreveio a tradicional e não surpreendente pizzada: “Eu não mexo com V. Excia.. E V Excia. não mexe comigo”. E viva “nóis” que não somos V. Excias…

Constatação IV (Classe é classe…)

Deu na mídia: “SÃO PAULO – O senador Fernando Collor de Melo (PTB-AL), disse em discurso em plenário dia 10 de agosto estar “obrando” na cabeça do jornalista Roberto Pompeu de Toledo, da revista Veja”. Data vênia, como diriam nossos juristas, masRumorejando supõe que na bacia sanitária seria bem mais cômodo e confortável.

Constatação V (Quadrinha para ser recitada em algum Fórum Mundial, daqueles que não levam absolutamente a nada).

Se eu fosse o presidente

Da República do Burundi

Eu viveria por lá, somente

E não viveria por aqui.

Constatação VI (Dúvida crucial via pseudo-haicai).

Na chuva, foi o amigo Bertoldo

Que, ao invés de guarda-chuva,

Usava um baita de um toldo?

Constatação VII (De outra dúvida crucial via pseudo-haicai).

Inspiro gás carbônico

Sobrevivo assim mesmo.

Será que sou biônico?

Constatação VIII (Quadrinha de cinco estrofes [pentinha?] para ser recitada no Senado ou na Câmara dos Deputados).

Conversa vai, conversa vem

Sempre haverá alguém

Que jamais, na vida, fará um bem.

E, qual um líquido, outro alguém

Tomará a forma do vaso que o contém…

Constatação IX (E já que falamos no assunto…)

Falta pros simples mortais perspicácia

Em se dar conta  que a democracia,

Apregoada por esses políticos, é uma falácia?

Constatação X (Pseudo-soneto da série Ah, o Amor…)

Chegamos no motel rotundo

Fechamos a porta do apartamento

E ficamos separados do mundo.

Nos olhando por um momento.

Trocamos beijos e abraços

No estilo “finalmente sós”.

Não foram pouco escassos.

As línguas, só faltavam dar nós.

As peças de roupa voavam

Quais corruíras no firmamento

E o teu corpo desnudavam

Você disse: “Vou tomar um banho

E volto em um momento”.

Tardou. Te segui. Visões de antanho.

Constatação XI (Com os agradecimentos ao professor de Educação Física, Personal training e Fisioterapeuta João Paulo de Andrade Alarcão).

Rico tem escápula; pobre paleta.

Rico tem gastrocnêmio; pobre, batata da perna.

Rico tem patela; pobre, rótula.

Constatação XII

O empate do Campinense um minuto após o gol do Paraná aos 46 minutos do segundo tempo lembra “mutatis mutandis” que o pão de pobre sempre cai com a manteiga voltada para o chão. E que alegria de pobre dura pouco…

Constatação XIII

Foi a mosquita

Que disse pro mosquito:

“Você andou chupando pirulito

Ou alguém que tomou birita?”

Constatação XIV

Foi a tigresa

Que disse pro tigre:

“Mas que beleza

Chegando essa hora!

Vá embora!

Emigre!

Você tá atrasado!

Seu desmiolado!”

Coitado!

Constatação XV

Não que a gente seja contra. Ao contrário. Mas a facilidade com que certas mulheres mostram os seios também pode ser explicado pelo fato delas acharem que estão mostrando algo que não lhes pertencem. Eles não são os seus seios originais. Eles foram siliconados. Elementar…

Constatação XVI

Escritor rico é vocabularista; pobre, sensacionalista.

.

FREIRAS - DE MARTA FERREIRA

a mesa diretora do senado federal em pose especial para o domingo de sol.

foto de marta ferreira.

ilustração do site.

COLUNA DO JUCA – Rumorejando (Triste ver o presidente da República com relação a crise do Senado, palpitando)(09/08/09) – por josé zokner / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Deu na mídia: “PMDB retaliará Virgílio com até quatro representações”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejandoacha que a gente sobrevive porque eles guerreiam politicamente entre si, ainda que oJUCA - Jzockner pequenissima (1)corporativismo seja muito forte. Afinal, ninguém é de ferro para se opor aos projetos que beneficiam a todos eles. Se houvesse só aliados entre eles, nós estaríamos todos ferrados*…

*Usamos a palavra “ferrados” porque somos educados.

Constatação II

Este assim chamado escriba se pôs a assistir o jogo Fluminense e Atlético pela televisão. As duas emissoras de televisão que transmitem o futebol estavam transmitindo esse jogo. Não havia, portanto outra opção. O jogo foi tão ruim que este assim chamado escriba pagou pecados que ainda não cometeu. Ficou credor de cometer pecados. Com o meu Paraná não tem sido diferente. Pena!

Constatação III (Pseudo-soneto da série Ah, o Amor…).

Você e insaciável

Mas eu já não agüento

A tua sede notável

Nem mais um momento.

Você esquece

Que sou septuagenário

E não arrefece

Muito ao contrario.

Como não tá morto

Quem peleia

Supero o, digamos, desconforto.

Patino, mas não esmoreço,

Vou comer mais aveia.

Caso contrário desfaleço…

Constatação IV

20 assuntos de agrado deste assim chamado escriba:

-O humor de Tutty Vasques no Estadão;

-O programa Certa Vez do amigo Beto Guiz que é levado na Rádio Educativa;

-O desempenho dos atores brasileiros;

-Publicidade inteligente. Exemplo: a das sandálias Havaianas;

-Um jogo de truco com parceiros de nível;

-Mulher não turbinada;

-Livro de prosa ou poesia que seja entendível por um simples mortal;

-A Estrada da Graciosa ou por trem para Antonina, Morretes e Paranaguá;

-As diversas regiões do estado do Paraná; os pontos turísticos, mormente Vila Velha e               Foz do Iguaçu;

-A emoção de ver os atletas, times ou a seleção do Brasil ganhar e a bandeira brasileira sendo hasteada enquanto o hino brasileiro é tocado;

-Escutar música clássica, o Quinteto e Orquestra Armorial; Chorinhos, Elomar, Noel Rosa, os uruguaios Daniel Viglietti e Alfredo Zitarrosa, o argentino José Larralde, os tangos clássicos, a música gauchesca, os discos produzidos por Marcus Pereira, etc.

-Cinema brasileiro e dos hermanos;

-Torcer pro Paraná;

-Os gols da rodada (assistir um jogo inteiro é muita perda de tempo porque jogos bem disputados são muito raros);

-Ler os gurus Millôr Fernandes, Mário Quintana, Mario Benedetti;

-Rodar pião;

-Assistir o balê do grupo Corpo;

-Sentir a mão dos netos segurando a nossa mão;

-As reações das minhas cachorras com suas diversas personalidades;

-Chimarrão.

Constatação V

Deu na mídia: O Bradesco informou que encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 2,297 bilhões, o que representa um crescimento de 14,7% em relação ao apurado em igual período de 2008”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas será que não tá na hora de socializar estes lucros bancários para deixar de serem pornográficos e mais pessoas usufruírem? Cartas. Obrigado.

Constatação VI

Não se pode confundir despontar com desapontar, até porque você vai se desapontar quando uma pessoa desagradável despontarna esquina para te visitar. Da sogra, nem falar…

Constatação VII (Quadrinha para ser recitada pelo presidente do Senado).

O Senado não está desmoralizado.

É tudo intriga da Oposição.

Alguém não é bem comportado

Mas isso representa uma exceção.

Constatação VIII (Quadrinha para ser recitada pelo presidente da Câmara dos Deputados).

Deixaram a gente em paz

Os olhos tão voltados pro Senado

Afinal a gente é eficaz

E, de há muito, já está tarimbado.

Constatação IX (Quadrinha para ser recitada pelos eleitores).

Somos obrigados a votar

Se não paga-se uma multa

E mesmo se novos forem pro lugar

Absolutamente em nada resulta.

Constatação X (Quadrinha para ser recitada por quem já é septuagenário).

Não sou mais obrigado a votar

Assim não preciso anular os meus votos

Meu tempo fora não posso jogar

Que já perdi em tempos remotos.

Constatação XI’(Quadrinha para ser recitada pela mulher do candidato eleito).

Agora, vou poder comprar na Daslu,

Que sempre foi o meu desiderato.

Chega de se vestir como jacu

Como antes dele assumir o mandato.

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES. (02/08/09) por juca (josé zokner) / curitiba


Constatação I

Não se pode confundir inveterado que o dicionário Houaiss dá como: “que contém arraigado em si, por obra do tempo, determinada maneira de ser, determinado hábito (diz-se de pessoa)” com invertebrado que o mesmoJUCA - Jzockner pequenissima (1)dicionário assinala como “desprovido de coluna vertebral”, até porque quem é, por exemplo, um inveterado bajulador (rico é bajulador; pobre, puxa-saco) é um invertebrado, maria-vai-com-as-outras e outros epítetos desse jaez.

Constatação II

O que tem de time no Brasileirão e na Segundona surrando a bola não está escrito em lugar algum. Coitada!

Constatação III

Quando o Sr. Pedro Malan proferiu que o salário mínimo dava pra uma família e ainda sobrava será que ele e a sua – dele – família viviam assim?

Constatação IV (De um pseudo-soneto da série Ah, o amor…).

Pensar que algum dia

Você me disse vários não

Agora virou uma alegria

Você se deu conta o quanto é bom.

Até no meio da noite você me aborda

Me dizendo: Bem, façamos uma conjunção

Para certas coisas a gente sempre acorda.

E eu acedo com entusiasmo e emoção.

Você se contorce de prazer

Com a perspectiva do que vai acontecer.

Quando percorro teu corpo nu

Rola entre nós um forte ardor

E nos teus olhos brilha um fulgor.

Trejeitos de danças; jamais o lundu*

*Dança de par separado de origem africana, ainda que de grande sensualidade. (Houaiss).

Constatação V

Chamaram o septuagenário

De boa carcaça

Ele considerou isso uma pirraça;

De mau-gosto, uma chalaça:

“Sinto-me um bi-centenário,

Caquético e alquebrado”.

Coitado!

Constatação VI

Foi o contorcionista do circo que chegou tarde em casa e se pôs a fazer contorcionismo verbal com a patroa que lhe deu, em resposta, uma camaçada de pau. Coitado!

Constatação VII (Dúvida crucial via pseudo-haicai).

Anjo

Toca lá no céu

Lira ou banjo?

Constatação VIII

Resoluto

Quis votar

Num parlamentar

Que seja impoluto.

Depois de muito procurar

Cheguei a terrível decisão

Que não dá mais

E, é bem provável,

Que não dará jamais.

Triste e lamentável

Conclusão…

Constatação IX

Ele reconheceu

A assinatura

No notário.

Nela havia escrito,

Segundo ele, com ternura,

Com muito amor,

Tudo rimado,

Pedindo à namorada

Dinheiro emprestado.

Ela respondeu

Também com firma reconhecida:

“Você é um caradura,

Um salafrário.

Na tua carta está dito

Que eu sou tua querida

Que eu sou uma flor*.

Você tá com nada.

Você é um charlatão,

Um aproveitador,

Um desregrado.

Com essa demonstração

Falsa de carinho.

Vá catar coquinho”.

Coitada!

Coitado!

Coitado?

*Este cara, além de ser um mau-caráter ainda é do tempo que rima amor com flor. Nota zero pra ele.

Constatação X

Deu na mídia: “Bolsa-Família: Lula diz que governo tem papel de ‘mãe’. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas será que o nosso presidente sabe quem é o pai?. Se é conhecido, ou não? Ou o pai é o padrasto?

Constatação XI

Também deu na mídia: “Nos bastidores, Sarney já avalia deixar o cargo”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejandoacha que, salvo membros da família e alguns amigos, ele não deixará saudades…

Constatação XII

Ainda a mídia: Lula diz que os economistas deveriam fazer um mea culpa”. Data vênia, mais uma vez, mas Rumorejando acha que só os economistas. Os políticos, não. Estes deveriam ser banidos para dar lugar a algum esquema de participação da Sociedade no assim chamado processo democrático, já que os políticos apenas representam o interesse deles mesmos.

Constatação XIII

“Cientistas australianos descobrem porque balançamos os braços ao caminhar”. Quanto ao fato das mulheres graciosamente rebolarem quando andam, nada foi pesquisado. Provavelmente, porque sim e tá acabado.

Constatação XIV

Deu na mídia: “Conselho de Ética já recebeu 11 ações contra Sarney”. Só??!!

Constatação XV

Atlético e Paraná têm trocado constantemente de técnicos. Mas pelos resultados que os dois times vêm alcançando dá a impressão que eles estão trocando entre eles mesmos…

Constatação XVI

Será que o esforço de se eleger vem do fato que para deputados e senadores a lei é diferente do que para os simples mortais? Quem souber a resposta, por favor, cartas por correio eletrônico. Obrigado.

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Deu na mídia: “Papa pede que fiéis com problemas econômicos tenham fé”. Data vênia, como diram nossos juristas, masRumorejando acha que ao invés de pedir aos fiéis que tenham fé, seria melhor que o Sumo Pontífice pedisse uma moratória, em nome dos fiéis aos seus respectivos credores.

Constatação II

Data vênia, etc., mas Rumorejando acha que no Senado da República não havia Diretor-Geral, mas sim Ditador-Geral e que, depois, foi alçado à condição de Secretário Geral para Assuntos Secretos…

Constatação III

E como se sentia desorientado aquele ex-ativista: “A gente pode se desencantar com a Esquerda, mas não dá para se encantar com a Direita. Ficar no Centro é filhadapu…ce.

Constatação IV (Pseudo-fanatismo, com tendências a corno).

Chegou

Resfolegante

No doce lar.

-“Está apurado?”

Perguntou,

Rindo à-toa,

Maldosamente,

A patroa.

Coitado!

-“Não é isso”,

Contestou

De modo elegante.

-“É que o meu Paraná,

Talvez

Graças a um Orixá,

Passou,

Milagrosamente,

A ganhar,

Mais de uma vez.

E ele vai agora jogar

Contra o Guaratinguetá

Ou o Fortaleza,

Ou o Ceará.

Sei lá!

-“Que beleza!”

-“Que torcedor

Você me saiu!”

E que amante!

Você nem viu,

Nem reparou

Que eu estou

Nua, perfumada,

Almejante,

Enfim,

Preparada,

Querendo,

Pretendendo

Fazer amor?

Coitada,

De mim!”

Constatação V (E já que falamos no assunto).

Surgiu um zunzum,

Um vavavá*

Que o meu Paraná

Ganhou outra porfia,

Mesmo com apatia,

Ou foi o contrário:

Perdeu de menos um

Adversário?

*Vavavá 1. barulho de vozes; algazarra, gritaria

2. agitação, alvoroço, tumulto. (Houaiss).

Constatação VI

Deu na mídia: “FGV: renda maior não alavanca qualidade de vida no Nordeste. O estudo apresenta amplo diagnóstico das mazelas e conquistas socioeconômicas dos nove Estados nordestinos, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, entre os anos de 2001 e 2007”. Piauí e Maranhão foram os que apresentaram piores índices de desenvolvimento. Ainda a mídia, coincidentemente ou não, apresentou a seguinte informação: ‘Não sei por que esse bombardeio’, diz o senador Paulo Duque, novo presidente do Conselho de Ética, aliado do senador José Sarney, que tem a tarefa de investigar o presidente do Senado. Quem souber a razão do bombardeio, por favor, cartas diretamente e não através de Rumorejando, ao senador Paulo Duque…

Constatação VII

Madona e Jesus Luz não estão mais juntos, diz o jornal Daily Mail. Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade!

Constatação VIII

Foi a formiga, montada no boi que disse para ele: “Veja quanto nós já puxamos o arado. Já vai dar para semear nesta área para o cultivo da próxima colheita. A cigarra nem se deu conta disso porque ela só fica cantando”.

Constatação IX

Este neto do senador José Sarney na gravação da conversa que teve com o pai, ao fazer troça de não aparecer para trabalhar, ganhando um salário de cerca de sete mil reais, revelou que tem o perfil das elites dirigentes, podendo, logo, logo exercer um cargo importante no nosso país.

Constatação X (De um pseudo-soneto, da série iniciada na semana passada: “Ah, o amor…”)

Você se despe na minha frente,

Fazendo surgir teus encantos

Eu fico com olhar nada inocente

E te cubro com beijos como se fossem mantos.

Teus arrepios ao beijar teu pescoço

Ao te abraçar fortemente por detrás

Você tenta se desvencilhar com alvoroço

E eu impeço que você seja capaz.

Você me sussurra “espere” e me pede calma,

Mas quem pode ficar calmo nessa hora

Com esse turbilhão todo que vai pela alma?

Diante da doce visão que me é dado a ver

A vazão do amor tem que ser já, já. Agora!

Depois? Ah, depois! Corre-se o risco de morrer.

Constatação XI

Com relação ao pseudo-soneto da constatação anterior, vale lembrar que a mídia noticiou: “governo vai comprar vacina contra gripe suína para 2010”. Será que não é muito temporão? Não se corre antes o risco de morrer? (Perdão, leitores).

Constatação XII

O sorriso da aeromoça

Era tão profissional.

E ela era tão insossa,

Tão amuada

Que parecia

Que nela não havia

Nem um pouco de sal.

Coitada!

ENQUANTO ISSO…NUM PAÍS DA AMÉRICA DO SUL BANHADO PELO ATLÂNTICO…

“Um dia decidi sair do trabalho mais cedo e fui jogar golfe!
Quando estava escolhendo o taco, notei que havia uma rã perto dele.

A rã disse:

– ‘Croc-croc! Taco de ferro, número nove!

Eu achei graça e resolvi provar que a rã estava errada. Peguei o taco que ela sugeriu e bati na bola.
Para a minha surpresa a bola parou a um metro do buraco!
– Uau!!! – gritei eu, me virando para a rã – Será que você é minha rã da sorte?
Então resolvi levá-la comigo até o buraco.
– O que você acha, rã da sorte?
– Croc-croc! Taco de madeira, número três!
Peguei o taco 3 e bati. Bum! Direto no buraco!
Dali em diante acertei todas as tacadas e acabei fazendo a maior pontuação da minha vida!
Resolvi levar a rã pra casa e, no caminho, ela falou:
– Croc-croc! Las Vegas!
Mudei o caminho e fui direto para o aeroporto! Nem avisei minha mulher!
Chegando em Las Vegas a rã disse:
– Croc-croc! Cassino, roleta!
Evidentemente, obedeci a rã, que logo sugeriu:
– Croc-croc! 10 mil dólares, preto 21, três vezes seguidas.
Era loucura fazer aquela aposta, mas não hesitei.
A rã já tinha credibilidade.
Coloquei todas as minhas fichas e deu na cabeça! Ganhei milhões! Peguei toda a grana e fui para a recepção do hotel, onde exigi uma suíte imperial. Tirei a rã do bolso, coloquei-a sobre os lençóis de cetim e disse:
– Rãzinha querida! Não sei como lhe pagar todos esses favores! Você me fez ganhar tanto dinheiro que lhe serei grato para sempre!
E a rã replicou:
– Croc-croc! Me dê um beijo! Mas tem que ser na boca!
Tive um pouco de nojo, mas pensei em tudo que ela me fez e mandei ver!
No momento que eu beijei a rã, ela se transformou numa linda ninfeta de 17 anos, completamente nua, sentada sobre mim. Ela foi me empurrando bem devagarzinho para a banheira de espuma…

“Juro por Deus”, – disse o Senador ao Presidente da Comissão de Ética!
“Foi assim que consegui minha fortuna e essa menina foi parar no meu quarto”.